Esse "carioca" de Montevidéu, nos deixou num dia 14 de fevereiro do ano de 1996. Redundante dizer que ficamos poéticamente mais pobres. Ficamos, é fato.
Taiguara sofreu o estigma babaca de ser considerado baladista romântico, coisas da mídia que enquadra os artistas a seu bel prazer em rótulos pré-fabricados, mas ele não foi apenas um poeta de baladas românticas,sim (por quê, não?). Dentro da sua obra, o amor não é apenas o romântico, Taiguara falou, cantou em suas letras, o amor pela humanidade, característica de um adepto do socialismo. Fez experimentações nos mais variados ritmos, com influências latinas e até africanas.






Foi um resistente obstinado contra a ditadura militar. Para quem o considerava um romântico, como se isso pudesse minimizar a obra de alguém, nos deixou músicas inesquecíveis dessa luta contra os desmandos dos
coronéis da época.




"Que as crianças cantem livres"

"Vê como um fogo brando funde um ferro duro
Vê como o asfalto é teu jardim se você crê
Que há um sol nascente avermelhando o céu escuro
Chamando os homens pro seu tempo de viver".

Taiguara - 1973


Em tempos de guerra iminente, ele já pedia pela Paz, esse sonho humano que o poder concentrado nas mãos de um louco nos faz mais distantes, escreveu:



PELA PAZ MUNDIAL

Qual o coração, humano,

Que não erra?

— O que diz: Não,

aos tiranos. Não,

à Guerra.

E qual a paixão que não finda?

Que nem cansa?...

— A que diz: sim.

Tenho ainda esperança.



Taiguara nos deixou cedo demais, tinha apenas 51 anos, quando um cancer o levou. Mas ainda temos a voz marcante, o canto apaixonado, romântico, atuante dentro do seu tempo. Sempre lutando pelas causas que tomou para si. A nós cabe a tarefa de lembrar sempre, não deixar morrer nunca e calar jamais, a voz desse uruguaio, tão nosso.


Valeu Taiguara, Teu Sonho Não Acabou:

Hoje a minha pele já não tem cor
Vivo a minha vida seja onde for
Hoje entrei na dança e não vou sair
Vem que eu sou criança, não sei fingir
Eu preciso, eu preciso de você
Ah! eu preciso, eu preciso, eu preciso muito de você ...



Uruguaio de Montevidéu, veio para o Brasil com 4 anos de idade, morando primeiro no Rio e mais tarde em São Paulo. Na universidade, participou de festivais, época em que começou a compor. Abandonou a faculdade e ingressou como cantor no Sambalanço Trio. Na década de 60 fez carreira em festivais, tendo se firmado como compositor de baladas até meados dos anos 70, quando passou a se dedicar a outros experimentalismos, trabalhando ao lado de Hermeto Pascoal. Durante a ditadura militar, teve problemas com a censura, creditando a autoria de algumas de suas músicas a sua mulher para conseguir liberação das faixas. Tendo morado em diferentes países (Brasil, Inglaterra, Etiópia, França, Tanzânia), a música de Taiguara assimilou diversas influências. Nos anos 80 voltou-se para a música latino-americana, gravando guarânias paraguaias e outros ritmos latinos. Também pesquisou a música africana para lançar "Brasil Afri" em 1994. Alguns de seus sucessos são "Hoje", "Universo do Teu Corpo", "Viagem".



Leia: http://cliquemusic.uol.com.br/br/Artistas/artistas.asp?Status=ARTISTA&nu_artista=556&xbio=1
http://cf2.uol.com.br/encmusical/listaverbete.asp?code=2370

0 comentários: