Pessoas idealistas - Flavio Gikovate




Pessoas mais generosas costumam ser idealistas: como conseguem sair de si e se colocar no lugar dos outros, tendem a imaginar como elas são.
Na prática, acabamos por imaginar os outros como criaturas parecidas com o que somos: é difícil aceitar que existam humanos muito diferentes.
O idealismo corresponde a um modo de pensar que aumenta as chances de erro: a pessoa se afasta dos fatos e acredita demais em suas hipóteses.
Os mais generosos e idealistas têm dificuldade em perceber que metade da população não sente culpa: se tornam vítima fácil de oportunistas.
Pessoas objetivas, que se atêm aos fatos e só recorrem às ideias ou à imaginação quando eles não estão disponíveis, agem com mais bom senso.
O realismo não implica pessimismo ou desencanto: acabam se decepcionando mais os que se iludem e não avaliam as pessoas com objetividade.

Aceitar que umas pessoas sentem culpa e outras não costuma ajudar muito àqueles que pretendem conhecer melhor os outros e não ter decepções.
Flavio Gikovate

*Que eu nunca relaxe e nunca me esqueça disso sob pena de nova decepção e dessa vez comigo mesma por não ter apendido a lição.


0 comentários: