Essa melancolia de rua fracamente iluminada, fim de noite em outro tempo qualquer.
Lá fora é a chuva fina na janela embaçada, aqui dentro, uma ausência avoluma-se a ponto de preencher o ambiente. Passas do estado fluídico ao denso peso dos metais.
Nesse momento não há lugar nenhum no mundo para ir, ainda que por vontade própria ou imprópria intervenção do destino. Nesse momento, não há outro dia que se torne melhor, porque não tenho nada que não me faça chorar...

andrea augusto©angelblue83


Para o amigo e poeta Caticha que faleceu hoje.
Site do poeta Caticha Ellis: http://www.caticha.kit.net/

0 comentários: