A perda da inocência
/


Houve um tempo em que a blogosfera era assim: você criava um blog sobre um assunto que gostava e/ou dominava e começava a escrever sobre ele. Naturalmente blogueiros afins acabavam por descobri-lo e vice-versa e assim criava-se um vínculo de visitas mútuas. Hoje já não é mais assim.
Hoje o blogueiro bate ponto, trabalha em casa, confere a cada cinco segundos o
google analytics para ver quantos visitantes tem, sua taxa de rejeição, se a grana esta entrando, visita os tops de linha, porque o resto tem mais é que visitá-lo, ele não tem tempo pra isso. Virou profissional. Cheguei a ler num desses blogs algo como: "não entendo a razão de criar um blog que não seja para ganhar dinheiro".
É uma escolha e não tenho nada contra, de verdade, mas tirando a guerra de vaidade natural de quem escreve, se expõe e espera retorno, um detalhe realmente me impressiona. O detalhe atende por
Madame Bela e o modo como ela e sua "campanha" entraram para a blogsfera.

Ser um blogueiro mundialmente conhecido no mundo virtual acaba por impor alguma responsabilidade pelos posts que produz. Não que o contrário se aplique aos outros. Responsabilidade todos temos, mas eles, eles são verdadeiros gurus nesse meio e bem...
Antes de continuar segue um texto que eu adoraria que meus cinco fiéis leitores lessem com atenção, depois eu concluo.
/

Photobucket - Video and Image Hosting

/

QUE GRAÇA A BRUNA TEM?
/
O texto As Graças e as Brunas, escrito pela psicóloga Suely Pavan. Gestora de Recursos Humanos e Professora de Psicodrama, Suely é outra grande colaboradora da seção Iscas Intelectuais.
/
Conversei com a Graça ontem de manhã. Na realidade, muito mais ouvi do que falei. A Graça é sábia, uma mulher de força e fibra. Ela é a faxineira da escola de psicodrama onde dou aulas. Está sempre bem disposta, tem os olhos brilhantes, corpo bem feito, mas singular. A Graça nunca deve ter freqüentado nenhuma academia de ginástica pra ficar igual a ninguém. A Graça se basta!
/

Ela veio sozinha do Sergipe para São Paulo, com pouco dinheiro na carteira, e foi morar aqui com seus filhos na casa da ex-sogra. Tinha apenas uma certeza:
/
- Sabia que ia vencer!
/
Ontem, ela me dizia com altivez que “se ama”, mas nem precisava dizer! O amor está na cara da Graça!
/
Ela é guerreira, sabe o que quer, e não depende da aprovação alheia. Ao invés de chorar pitanga, ela transformou sua sabedoria, e hoje a divulga. Ela ensina outras mulheres a serem menos dependentes dos homens, a se amarem mais. Lá na igreja onde dá orientação, ela contraria até o padre. O casamento eterno com alguém que maltrata, bebe ou se droga, não é a premissa da Graça. Segundo ela, agüenta quem quer!
/
Ela faz sim uma revolução: a do não conformismo!
/
A Graça só quer ser feliz. Hoje ela é casada e exige bom tratamento. Ela sabe exatamente o que merece. Não confunde amar alguém com conviver com uma pessoa que lhe faz mal. Sem manual de auto-ajuda nenhum, a Graça espalha esta graça para outras mulheres. Ela nunca escreveu livros, ela é mulher de ação. Ajuda os outros com aquilo que aprendeu na sua própria pele. Seu exemplo de vida contagia, e por si só é transformador.
/
A Graça sabe o que é amor próprio e ficar sozinha não a assusta. Ela aprendeu que o amor vive no nosso coração. Mas que conviver com alguém que humilha e não faz por merecer uma mulher, pois a maltrata ou é um “galinha”, já faz parte de outra esfera: a convivência. Quem escolhe conviver com alguém assim, não se merece, segundo ela.
/
Ela tem sonhos e já sabe até onde quer morar daqui há quatro anos. Sabe também que morrerá pobre, ela não tem ilusões de riqueza fácil. Pra ela a vida foi dura, mas não há a menor sombra de amargor em seu rosto.
/


Bruna Surfistinha

/

A Bruna está dando entrevistas na TV. Basta mudar o canal e lá está ela. Seu rosto e corpo são iguais aos de muitas garotas. Ela escreveu um livro contando suas aventuras sexuais, que está vendendo como água. Raros autores brasileiros conseguiram tal proeza.
/
Aos 17 anos, a Bruna fugiu de casa e virou prostituta. Transou com mais de 3.000 clientes. Nas entrevistas ela nos dá dados estatísticos, como, por exemplo: 70% de seus clientes eram casados e apenas 10% não tinham namoradas ou noivas. O fato de todos terem um compromisso com outra mulher não preocupava nem um pouco a Bruna. Segundo ela, cada um faz o que quer!
Ela estudou em bons colégios e teve vida de menina rica. Hoje ela tem 21 anos e resolveu se aposentar da profissão mais velha do mundo. Seu blog na internet foi visitado por mais de 20.000 pessoas num mês. Todos estão interessados em saber o que a Bruna fazia nas surubas, quais posições são as preferidas dos homens, que tipos de beijo usava, etc e tal. Ontem li algumas críticas ao seu livro e um dos leitores dizia que a Bruna “acabou com a hipocrisia de nossa sociedade hipócrita!”
/
A Bruna virou salvadora social!
/
Bom, se a Bruna vende tantos livros, acredito que o interesse da sociedade seja mesmo no que ela propõe. Se há tantos compradores, o foco da cena cotidiana deve ser o que Bruna nos conta. É lá que as pessoas (e são muitas!) colocam os seus valores.
/
A Bruna se vê como uma incentivadora das garotas para o sexo. Segundo algumas leitoras, depois de ler o livro elas aprenderam como agradar aos homens. Parece que a única preocupação das mulheres é agradar aos homens.
/
No seu livro, ela também conta que já teve bulimia, depressão, foi mal tratada por alguns clientes e viciada em drogas. Diz não se arrepender de nada do que fez. No futuro, pretende escrever um livro de auto-ajuda sobre sexo e cursar psicologia. Tem muito que ensinar às pessoas sobre fantasias sexuais, já que ela realizou a de várias, conforme contou na TV.
/
Tem homem que acha a Bruna deprimente, mas não deixa de fixar os olhos em qualquer Bruna que passe pela rua!
/
A Bruna virou estrela!
/
Hoje ela mora junto com um ex-cliente, um cara que era casado e tem dois filhos. Tudo o que fez na sua vida se deve unicamente ao fato de não se dar bem com seus pais. Eles não entendiam sua revolta típica de adolescente!
/
A Bruna fez análise. Ela não sente culpa de nada.
/
Quando ando na rua, vejo um monte de Brunas. Elas são parecidas, tem o cabelo comprido e liso, usam roupas da moda. E falam muito de sexo. Segundo os garotos, falam muito e fazem pouco e mal. Mas as Brunas adoram chamar a atenção com seus corpos malhados e esculpidos da mesma forma nas academias.
/
Na vida real, são elas que fazem sucesso e não as Graças! Elas é que ganham dinheiro e a admiração dos homens. A sociedade consome Brunas e a elas dá valor.
/
As Brunas tem emprego garantido. As Graças passam fome e são vítimas dos preconceitos profissionais.
/
Nosso valor não está apenas onde gastamos o nosso dinheiro, mas onde colocamos o nosso tempo. Tempo é algo inerente à vida, só que ele nos dá múltiplas oportunidades de usá-lo.
/
Há alguns que gastam o seu tempo ouvindo ou lendo as histórias da Bruna. Ou ainda acham na internet mesmo, e sem sair de casa, as fotos e contos de outras Brunas. Elas são muitas e todas muito parecidas: corpos, falas, jeitos, roupas. As Brunas tem tempo de sobra pra ficar contando os seus dias nos blogs, salas de bate-papo, MSN e sites de relacionamento. Estão sempre disponíveis ao sexo e às conversas.
/
As Graças não estão na internet, nem nas academias, muito menos nas baladas. São mais difíceis de achar. Elas vivem ocupadas. Quando não se ocupam de seus trabalhos, família e amores, elas ajudam as outras pessoas. O tempo delas é escasso!
/
É preciso ir atrás delas. Elas dão mais trabalho, são mais exigentes e não se encantam por qualquer coisa, nem por qualquer um. Mesmo que o dinheiro envolvido seja alto. As Graças não justificam o seu comportamento, não culpam pais, ou seja lá quem for, por serem assim ou assadas. Elas não se fixam no passado, apenas seguem em frente. Pensam muito antes de fazer qualquer escolha. São responsáveis por elas. E se arrependem sinceramente pelas pessoas que magoaram e pelas “burradas” que fizeram.
Nunca trilharam o caminho mais fácil. Sabem o valor da liberdade e da autonomia. São femininas, não tem idade e não se encaixam num determinado tipo de beleza. Elas são para poucos homens. Até porque, não se submetem e, muito menos, dependem de qualquer um. As Graças não vivem para agradar os homens.
/
Acreditam que uma relação se baseia em duas pessoas. Ontem a Graça me disse que lá na sua igreja, tem mulher que quer fazer tudo sozinha para um relacionamento dar certo. Ela ensina que um relacionamento é de duas pessoas. E se um não se esforça, não há como dar certo. Disse também que o amor deve ser regado, dia a dia, só assim ele cresce. E este ato deve ser feito pelos dois e não apenas pelas mulheres.
/
As Graças, por sua graça, estão cada dia mais raras. Elas são muito sábias, mesmo que não tenham cursos e nem sequer estudado em qualquer colégio. Coisa hoje muito valorizada no mercado de trabalho!
/

Ontem conversei ao vivo com a Graça. Ela não está nos jornais e muito menos na TV. Que sorte eu tenho de conhecer uma Graça! Para ela eu dou todo o meu valor.
Texto do excelente site Dlog Café Brasil
/

Photobucket - Video and Image Hosting

/

Voltando a Madame Bela.

Madame Bela é garota de programa e tem ou tinha um blog. Nesse blog, ela lançou uma campanha pra ser capa da Playboy. Tudo bem, a moça, apesar de ter filhos, tem corpo para isso, um belíssimo exemplar da típica Raimunda, digamos assim. Aqui vocês poderão vê-la dando entrevista sem a máscara que usa no site. Até aí não tem o menor problema. Já fui ao site dela, li sobre seus encontros (aprende-se muito, alias), sua vida e a campanha.
/
O que realmente surpreende é ver a adesão de blogueiros conhecidos a essa campanha, cuja a proposta - a desses blogueiros - nunca foi essa.
Aderir a campanhas assim é escolha deles e realmente não vejo problema nisso. O cerne da questão é um só: tendo eles tanto espaço, verdadeiros gurus entre os blogueiros porque se utilizar de um espaço precioso pra esse tipo de campanha? Pra quê? Nem a rasura de alguns homens justifica ao explicar como não conseguem ficar perto de uma mulher gostosa impunemente. É certo que as Graças não dão capa de revista, mas dariam excelentes posts.
/
Ora, fazendo um paralelo entre as Graças, Brunas e Belas, a conclusão é uma só: Brunas e Belas sempre terão maciça adesão a qualquer coisa que façam até que surjam outras, pois estas são de fácil reposição, já as Graças são mais perenes, jamais sairão nas capas das revistas, mas certamente estarão na lembrança de muitas pessoas por muito tempo depois de sair de cena, por um motivo muito simples: Somente as Graças transformam vidas.

/

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket





Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket
Montgomery Clift

/

Edward Montgomery Clift nasceu nos Estados Unidos em 1920 e foi durante muitos anos um dos atores mais bonitos de Hollywood. Veio de uma família rica e teve uma infância de viagens e fartura, tudo devidamente monitorado pela mãe , uma presença constante e ativa na vida do ator até a sua morte.
Ainda assim, ou apesar disso, Monty, era um cara atormentado . Sabe aquelas pessoas em cujo rosto há sempre uma sombra de tristeza? Ele era assim.

/

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket
/

Gay assumido, foi assediado pelas mais belas atrizes de sua época, mas foi em Elizabeth Taylor que encontrou uma grande amiga , tanto que ela teve importância fundamental na vida e na carreira de Monty.

/

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket
/

Monty era um doce de pessoa, educadíssimo, o que aliado à aparência era uma combinação cativante. Reza a lenda que em entrevista concedida a uma colunista brasileira, ele teria ficado agachado o tempo todo porque a única cadeira disponível ele já cederá a ela. Um fofo!
No seu lado mais sombrio estava uma queda pela autodestruição.
Foi numa dessas que Monty bateu o carro quando tentava sair bêbado de uma festa promovida por Elizabeth Taylor. Foi a própria Elizabeth que correu para tirá-lo das ferragens, salvando-lhe a vida ao impedir que ele se engasgasse com seu próprio sangue e dentes quebrados. Monty recuperou-se rapidamente, mas este foi o início de sua dependência de drogas, estimulantes e barbitúricos. Junte-se a isso o fato de ter ficado com o lado esquerdo do rosto paralisado, uma bela cicatriz na boca e dores pelo corpo que o acompanhariam durante a vida fazendo com que só encontrasse alívio nas drogas.
/


Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket
/

Monty sofria de depressão e a dependência química de tal forma que alterou o seu comportamento e ninguém queria contratá-lo. Foi apenas por influência de Elizabeth Taylor que Monty foi escolhido em 1959 para estrelar a versão cinematográfica da peça "De Repente no Último Verão" de Tennesse Williams. Durante as filmagens, o diretor tentou por várias vezes demitir Monty - mas Elizabeth Taylor ameaçou abandonar as filmagens caso isto acontecesse. O filme foi um sucesso, fazendo o diretor Elia Kazan convidar Monty para estrelar Wild River, lançado no final de 1960.
/

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket
/

Montgomery Clift estrelaria vários filmes depois do acidente e alguma rejeição dos estúdios, mas eu confesso que cena inesquecível é a que ele chorando toca corneta após a morte de Frank Sinatra em "A um Passo da Eternidade". O som triste da corneta, a emoção do momento e as lágrimas descendo silenciosas são pura poesia.
Com apenas 46 anos, o cinema perdia a beleza atormentada de Montgomery Clift. Ele morreria devido a problemas cardíacos agravado pelo abuso de substâcias químicas.

/





Technorati Profile



Retornando aos Posts de Quinta com críticas, humor, notícias bizarras, já começo com o nosso querido Capitão Nascimento, que alias tem um blog ótimo! rsss
/
/
BOPE = Batalhão de Operações em Programação Extrema
/

1. Em Brasília existem 7 empresas de TI. Todas elas dominadas por gerentes burocratas armados de processos ineficientes até os dentes. O programador tem 3 opções: passa num concurso, começa a fazer POG ou vai para guerra. Eu já tava naquela guerra fazia tempo, meu parceiro. Eu precisava arranjar um substituto;

2. Programador, revoltado com gerente que pediu em uma semana trabalho de um mês e reclamou quando os bugs surgiram:- Um de vocês é o caralho! Um de vocês é o caralho! Quem apagou todo o banco de dados foi você! Você que financia essa merda, seu viado!

3. HOMEM DE PRETO QUAL É A SUA MISSÃO? É APRENDER JAVA SEM PRECISAR DE CERTIFICAÇÃO! HOMEM DE PRETO O QUE É QUE VOCÊ FAZ? FAÇO CÓDIGO FONTE QUE ASSUSTA O SATANÁS!

4. (Continuação)na maior parte dos projetos, só chamam a gente quando a própria equipe do projeto não dá conta de resolver pois é, só que aqui no projeto XYZ, isso acontece o tempo todo;
Continue lendo mais 7 …

5. Conversa entre estagiário e gerente NascimentoNascimento: Quem fez isso aqui?“Oreia”: Não seiNascimento: Foi você! Você que mantém essa porra! Seu viado! Agora eu tenho que vir aqui e limpar a MERDA que você fez;

6. Aula de Engenharia de Software com o Capitão Nascimento:

- O Processo Unificado foi criado por Phillip Kurtchen, e começa na concepção, do inglês Inception, que define escopo, que vai para a Elaboração, do inglês, Elaboration, que mitiga os riscos arquiteturais, que vai para a construção, do inglês Construction, que implementa os casos de uso, que vai para a transição, do inglês Transition, que vai para…


- Capitão, o programador 23 dormiu!
- Sr. 23, segura essa porra desse projeto prioritário aqui, Sr. 23. Se você dormir de novo, Sr. 23, a porra do Grupo de Garantia da Qualidade vai te explodir, vai explodir seus colegas, vai me explodir, você não quer isso, não é Sr. 23, o Sr. não vai dormir de novo, não é Sr. 23?

- Não, capitão!

7. Capitão Nascimento chegando pra resolver problema de build:


- TODO MUNDO QUIETINHO AI, não vai SUBIR NADA não!

8. Sobre o Analista que fez decomposição funcional no caso de uso:

- Você não é analista você é “muleque”!

9. - 30 horas pra resolver um defect? O senhor é um fanfarrão, senhor zero-meia! 30 minutos. Eu disse 30 minutos pra resolver essa merda!

10. - Sr. Designer 24, tira esse preto desse layout porra! Você é “muleque”!

11. - Capitão, o aspira 07 não quer fazer POG SENHOR!



- Ah, não quer fazer POG não é? Tá com nojinho é viadinho? O que você esperava, um diagrama de atividades + diagrama de seqüência + caso de uso de negocio + documento de projeto + wireframe + HTML? Pede pra sair! Pede pra sair!”
/

Piadinhas enviadas pelo meu amigo Charles, para animar esse dia cinza e chuvoso.
/

Médico para a enfermeira:
- De quem é essa boquinha?
- Não sei!- De quem é esse narizinho?
- Não sei!- De quem é essa orelhinha?
- Não sei!- É... você tem razão...este necrotério está uma bagunça!

/

O sujeito volta ao médico trinta dias depois de ter sido operado do coração:
- O senhor está ótimo! - diz-lhe o médico.
- Eu já posso voltar a transar? - pergunta o paciente.
- Pode, mas só com a sua mulher! Eu não quero que você se emocione!

/

Após a consulta o sujeito pergunta ao médico:
- Quanto é a consulta, doutor?
- São duzentos reais.
- Duzentos?! Não tem um desconto para um colega de profissão?
- O senhor também é médico?
- Não, eu também sou ladrão!

/

O médico liga para o paciente.
- Alfredo, seus exames ficaram prontos.
- E aí, doutor!? Tudo bem?!
- Bem nada, rapaz! Tenho duas notícias para te dar: uma ruim e uma péssima.
- Diz logo, qual a ruim?- Você tem apenas 24 horas de vida!
- 24 horas? Meu Deus, não pode ser! - e depois de alguns segundos...
- E a péssima?- Tentei te ligar ontem o dia todo, mas só dava ocupado!

/

/
...e tudo começou assim...

/

Recebi esses gatinhos por email e adorei. Deixo aqui pra vocês essas "figuras". Quem quiser os gatinhos é só deixar um recadinho com email nos recados que mando, sem problemas.


Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket
Gato Blues
/



Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket
Gato doidão

/

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket
Gato rock and roll

/

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket
Gato hip hop

/


Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket
O Gato Tecno é o meu predileto,
além da cara de maluco, olha ele correndo lá atrás, rss

/
/



Na viagem que fez à África, na semana passada, Lula roçou a grelha que o diabo usa para assar a existência de parte das mulheres africanas. Entre os países visitados pelo presidente brasileiro estava a República do Congo (ou Congo-Brazaville). Não é nenhum Éden dos direitos humanos. Mas o inferno genuíno fica do lado, na vizinha República Democrática do Congo (ou Congo-Kinshasa), ex-Zaire.

A dramaturga Eve Ensler esteve recentemente no Congo que Lula preferiu não visitar. Fundadora do V-Day, um movimento global de apoio a organizações que se opõem à violência, Eve impressionou-se com o que viu. “Volto do inferno”, ela descreveu, em artigo reproduzido no Brasil pela revista eletrônica Via Política desta semana.

Eis um trecho: “A situação não é mais do que um feminicídio, e temos que a reconhecer e analisar como tal. É um estado de emergência. As mulheres são violadas e assassinadas a toda hora. Os crimes contra o corpo da mulher já são horríveis por si. No entanto, há que acrescentar o seguinte: por causa de uma superstição que diz que, se um homem viola mulheres muito jovens ou muito idosas, obtém poderes especiais, meninas de menos de doze anos de idade e mulheres de mais de oitenta anos são vítimas de violação.”

Mais um naco do texto: “Também é necessário acrescentar as violações das mulheres em frente de seus maridos e filhos. Mas a maior crueldade é a seguinte: soldados soropositivos organizam comandos nas aldeias para violar as mulheres, mutilá-las. Há relatos de centenas de casos de fístulas na vagina e no reto causadas pela introdução de paus, armas ou violações coletivas. Essas mulheres já não conseguem controlar a urina ou as fezes. Depois de serem violadas, as mulheres são também abandonadas por sua família e sua comunidade.”
/
Eu fico impressionada com a criatividade humana: "Homens que violam mulheres adquirem poderes especiais?" Mais de quinta impossível! Se ainda tiver estômago, pressione
aqui para ler a íntegra do artigo.
Enviado por Miguel.
/


Crítica social feita atravês de charge é bacana, marca e passa o recado. Essas eu dedico ao meu amigo Felipe, incansável na defesa da natureza.

/

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

/
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket
Charges daqui.
/
/

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Vergonha, meu caro Watson !

Um escândalo. É o mínimo que se pode dizer da entrevista do geneticista norte-americano James Watson ao jornal Sunday Times. Ganhador do Prêmio Nobel de Fisiologia/Medicina em 1962, Watson declarou que os africanos são menos inteligentes do que os ocidentais e que, por isso, não vê boas perspectivas para a África. Não satisfeito, afirmou categoricamente: "Pessoas que já lidaram com empregados negros não acreditam que a igualdade de inteligência seja verdade." Anteriormente, no livro Genes, Girls and Gamow, ele já havia se declarado favorável a um eventual tratamento genético para deixar mulheres mais "bonitas" (sic). Também defendeu o direito ao aborto, caso as grávidas pudessem saber, de antemão, se a criança nasceria homossexual.
/
O próprio Watson acaba se transformando, involuntariamente, no exemplo definitivo de que um bom observador da Natureza não é, necessariamente, um ser humano de melhor qualidade. De que vale um Prêmio Nobel nas mãos de um racista ? Pior: de um racista que, trabalhando nos meios científicos, deveria saber que não há o menor sentido na divisão dos homens em raças.
Atribuir os graves problemas africanos a alguma forma de doença genética é ressuscitar o discurso nazista. Passa por cima de séculos de espoliação imperialista (que não acabou) e do genocídio de gerações de africanos, sacrificados no altar da escravidão. Watson confunde biologia molecular com política e esta salada é azeda.
/
Repudiamos com veemência estas e todas as outras manifestações de preconceito. Os membros da comunidade afrodescendente têm nossa mais irrestrita solidariedade. Conclamamos todas as entidades democráticas a se pronunciarem claramente contra as idéias obscurantistas do senhor James Watson e seus apoiadores.
Diretoria da ASA – Associação Scholem Aleichem de Cultura e Recreação.
Recebi da Vi.
/
Bobagem Legal


/
Faz tempo que eu não coloco uma "bobagem legal" por aqui, por hoje resolvi matar as saudades. Vou começar com um endereço ótimo: http://www.customsigngenerator.com/
Lá você encontra zilhões de geradores. Faz desde imagens como essa abaixo até banner entre outras coisas.






/



/
Nesse endereço tem várias imagens para colocar recadinhos. Muuiittoo legal:
http://www.signgenerator.org/thumbs.htm
Exemplos:
/




Sugestão para aqueles que gostam homenagear o objeto amado, sendo que o mesmo muda com uma velocidade impressionante, com a vantagem de ter durabilidade infinita, rss


/

/




Lembram daqueles testes que quando a gente começa a fazer não consegue parar? pois é...



Your Personality Is
Idealist (NF)


You are a passionate, caring, and unique person.
You are good at expressing yourself and sharing your ideals.
You are the most compassionate of all types and connect with others easily.
Your heart tends to rule you. You can't make decisions without considering feelings.
You seek out other empathetic people to befriend.
Truth and authenticity matters in your friendships.
In love, you give everything you have to relationships. You fall in love easily.
At work, you crave personal expression and meaning in your career.
With others, you communicate well. You can spend all night talking with someone.
As far as your looks go, you've likely taken the time to develop your own personal style.
http://www.blogthings.com/threequestionpersonalitytest/
/





You Romantic or Realistic?
You Are A Realistic Romantic


It's easy for you to get swept away by romance...
But you've done a pretty good job keeping perspective.
You're still taken in by love poems and sunsets
You just don't fall for every dreamy pick up line!




Art Movement Are You?
You Are Surrealism


Dreamy and idealistic, you've created a world that is all your own.
It's very likely that you've either dabbled in drugs or are naturally trippy.
You are always trying to push beyond the boundaries of your culture and society.
You believe that art, love, and freedom can change the world.
http://www.blogthings.com/whatartmovementareyouquiz/

/




Your Kissing Style?
You Are an Intense Kisser.


When you kiss, it's deep and powerful
You don't take kissing lightly
Your kisses always have meaning
And they always make your head spin.
http://www.blogthings.com/kissingstylequiz/
rsss, modestia às favas, taí um esporte que eu domino, adoro e pratico com apaixonada devoção! ;)

Fico por aqui. Divirtam-se!



A história de François Truffaut começou toda errada para dar tão certo. Foi rejeitado pela mãe, tornou-se ladrão, foi denunciado pelo padrasto e preso aos 16 anos. Como explicar que em apenas dez anos ele revolucionaria o cinema francês? Aos 26, ele inaugura o Nouvelle Vague, movimento que renovou o cinema francês, com um de seus melhores filmes, “Os incompreendidos”.
O cinema salvou-o de se tornar marginal e deu estofo necessário para fazer dele um crítico dos mais violentos.
/
Ainda assim, uma infância e adolescência tão conturbados, não passariam impunes. Para o cinema foi ótimo, para a vida pessoal nem tanto. Teve três filhas e um filho homem, as relações com seu padrasto, de quem herdou o sobrenome, nunca foram boas e com a mãe menos ainda, tanto que ela morreu sem sequer conhecer os netos.

A obra de Truffaut é toda pautada pela busca do Amor. Não importa que tipo de amor ou mesmo se é correto ou transgressor, o que importa é o modo como esse sentimento coloca todos nós em pé de igualdade. Somos igualmente possessivos, ciumentos, idiotas, românticos e em situações extremadas preferimos destruir seu objeto de desejo a perdê-lo. Truffaut não nos poupa das lágrimas, do vômito, do escarro, do sangue virginal. Os fluídos corporais são pequenos lembretes mandados pela Morte de que ela nos espera logo ali na esquina. Aos personagens, só resta crer no Amor. Crer é a palavra chave; para Truffaut, o Amor é uma religião.
Isso é Truffaut. E por isso sou devota. Essa é a melhor palavra a usar quando se é mais do que apaixonada.
/
Mas não cabe aqui fazer um relato biográfico da vida de Truffaut, essas informações são facilmente encontradas na internet. Na verdade, hoje dia 21 de outubro, deu vontade de relembrá-lo porque nesse mesmo dia no de 1984, o mundo perdia o gênio François Truffaut. Tinha apenas 52 anos.


“(…) Tudo o que é do domínio afetivo reclama o Absoluto. O filho quer a mãe por toda a vida, os amantes querem se amar por toda a vida, tudo em nós pede o Definitivo – enquanto que a vida nos ensina o Provisório. Na medida em que o tempo passa, torna-se conveniente esquecermos nossos mortos, pois, esquecendo-os, é a nossa própria morte que esquecemos. (…) O verdadeiro dilaceramento reside na necessidade de aceitarmos o Provisório – para sobrevivermos”.
(O Cinema Segundo François Truffaut , Editora Nova Fronteira, 1988).
/
Leia mais e mais.
/



/

Quando terminei o post sobre o falecimento da atriz Deborah Kerr, fiquei assistindo o vídeo do YouTube, mais precisamente a cena dela com Burt Lancaster e não tive dúvidas, o sábado seria dele. O que eu não imaginava era encontrar nos meus arquivos fotos dele - Burt, claro - pelado.
Que coisa, não consegui me lembrar como consegui essas fotos, mas pude comprovar que o moço era realmente talentoso em todos os sentidos, rs Brincadeiras à parte ou nem tanto, vamos a ele.

/



Burton Stephen Lancaster nasceu em New York, em 02 de Novembro de 1913. E era um dos 5 filhos de um carteiro de antepassados norte-irlandeses.
O 1º emprego dele foi como acrobata de circo, o que daria a ele uma invejável forma física. Uma lesão o retirou da profissão para sorte dos cinéfilos.

/

Com 17 anos, o Burton se formou na De Witt Clinton Highschool, em New York. E 5 anos depois, se casou com a June Ernst.
Durante a 2ª Guerra Mundial, o Burton se alistou no Exército dos Estados Unidos e foi mandado pra Itália, servindo no ramo de Serviços Especiais, no entretenimento das tropas. Quando foi dispensado, no final de 1945, ele fez um teste para peça da Broadway, conseguindo o papel.
/


/

Burt não fez muito sucesso no teatro, mas foi essa peça que determinaria seu futuro nas telonas. Ele foi visto por caça-talentos de Hollywood e logo estaria estrelando, já com o nome artístico de Burt Lancaster, o filme "The Killers". Era 1936 e Burt tinha tudo para se tornar um símbolo sexual. Era jovem, alto, bonito e divorciado. Perfeito!
Em 1960, ele ganhou o Oscar de Melhor Ator, interpretando o personagem título de "Elmer Gantry". E ele chegaria a ter mais 3 indicações ao longo da carreira.
Era querido pelos amigos, amado pelas mulheres e um ativista liberal, um progressista, que sempre se manifestava a favor das minorias discriminadas.



Deborah Kerr e Burt Lancaster

Burt Lancaster casou-se três vezes e teve cinco filhos (William, James, Susan, Joanna e Shelia). A sua vida pessoal era bem movimentada e acredita-se que era bissexual e que teria tido relações com outros atores famosos como Cary Grant, Rock Hudson e Marlon Brando. Nada comprovado. O fato é que Burt Lancaster entrou para galeria de grandes atores da época de ouro de Hollywood.
Já no final da vida, começou a apresentar problemas circulatórios. E após sofrer uma cirurgia de urgência no coração, teve uma trombose cerebral em 1990, que o deixou numa cadeira de rodas, vindo a falecer quatro anos depois de um ataque cardíaco. Morto o ator, nascia a lenda.

/




Tarde demais para esquecer
Deborah Kerr



Hoje era dia do "Post de Quinta", mas com o braço engessado, eu não ia fazer nada.
No entanto, li sobre o falecimento da atriz Deborah Kerr e soube que não poderia deixar passar. Por isso, fico hoje com essa atriz que foi a namoradinha dos sonhos de muitos homens na década de 50.
/
A atriz britânica Deborah Kerr faleceu na terça-feira em Suffolk, Inglaterra, informou hoje seu agente. Ela tinha 86 anos e sofria de Mal de Parkinson.
/




/
O que eu acho mais interessante na biografia de Deborah Kerr, é o fato dela não ser de uma sensualidade agressiva como uma Ava Gardner ou lânguida de uma Marilyn Monroe e ainda assim ter entrado para o imaginário dos cinéfilos rolando na areia da praia, com Burt Lancaster. Sem dúvida, não só para os anos 50, mas até hoje, a cena do filme "A um passo da eternidade" é uma das mais sensuais que o cinema já produziu, pelo simples fato de sugerir o que hoje é escancarado. O que se insinua, se sugere é infinitamente mais sensual do que o escancarado, o que é mostrado sem pudor, sem resguardo. E surpreendentemente Deborah Kerr consegue na medida certa para se tornar inesquecível.
/
Conhecida pelo apelido de "rosa inglesa", ela viveu um romance com o ator Burt Lancaster enquanto filmava "A um Passo da Eternidade", em 1953.








/

Nascida em 30 de setembro de 1921, na cidade de Helensburgh (Escócia), Kerr começou os estudos de dança e arte dramática na escola de sua tia, Phillis Smale. Depois do teatro, conquistou o cinema americano aos 20 anos .
Kerr foi indicada ao Oscar de melhor atriz seis vezes, incluindo por sua atuação em "A um passo da eternidade" e em "O Rei e eu", com Yul Brynner. No começo dos anos 1990, ela ganhou um Oscar honorário.

/


Yul Brynner e Deborah Kerr em "O rei e Eu"

/

Deborah Kerr foi casada duas vezes. O primeiro casamento da atriz foi com Anthony Charles Bartley, um piloto britânico de batalha, logo após a Segunda Guerra Mundial. Eles tiveram duas filhas e se separaram em 1959.
Seu segundo marido foi o roteirista americano Peter Viertel.


/



Cary Grant e Deborah Kerr em "Tarde demais para esquecer"

/

Eu tenho que confessar que o meu filme predileto na cinebiografia de Debora Kerr, é "Tarde demais para esquecer". Amo de paixão tudo nesse filme. Do figurino, atuações e o roteiro de uma ingenuidade romântica ímpar. Revejo sempre e já mantenho o lencinho por perto porque sei que vou chorar lágrimas de sangue. Tudo bem, sem dramas, esse é o tipo de lágrima boa, de açucar, doce, assim como o romance na telinha da TV. E hoje é dia. Retirei o filme da estante, deixei a pipoca "de sobreaviso" na cozinha e mais tarde no escurinho do quarto a melodia será "An Affair to Remember" para Deborah Kerr. Que assim seja e eternidade permita.





A proposta do Blog Action Day é:

Publique um post em seu blog relacionado a um assunto da sua própria escolha falando sobre o meio-ambiente.
Um blog sobre finanças poderia escrever como economizar dentro de casa usando idéias viáveis de economia ambiental. Semelhantemente um blog sobre política poderia examinar que peso possui a política ambiental na área política em seu país, estado, etc.
Os posts não precisam ter qualquer agenda específica, necessitam somente estar relacionadas ao assunto proposto conforme adaptação do blogueiro para seus leitores.
O intuito aqui não é somente promover um ponto de vista particular, só jogar o assunto na mesa de discussão. Sendo assim, escreva de uma forma a convencer os leitores de seu blog do quanto o meio-ambiente necessita de nossa ajuda e atenção neste dia 15 de outubro
.


Bom, o Literatus sempre foi voltado para a literatura em geral e a poesia em particular, sendo que artes como um todo sempre são bem-vindas. Fiquei pensando numa maneira de fazer diferente mantendo a propsta do blog.
Daí pensei: preciso de textos, poemas, pensamentos que falem de meio ambiente, mesmo que citem apenas uma flor, o mar, as montanhas, mesmo que a natureza seja usada como analogia para uma situação, uma emoção, sentimento, porque desejo que o
Literatus mostre entre outras coisas, um olhar poético sobre o meio ambiente. Como a natureza pode ser e é inspiradora. Não é só o lado prático e necessário que entram qdo se fala em meio ambiente. Que triste seria um planeta sem as cores das estações, fauna e flora. Acho que seríamos muito pobres poéticamente falando.

Por isso, deixo com vocês a poesia inspiradora da natureza.





Manoel de Barros

Aprendo com abelhas mais do que com aeroplanos
É um olhar para baixo que eu nasci tendo.
É um olhar para o ser menor, para o
insignificante que eu criei tendo.
O ser que na sociedade é chutado como uma
barata - cresce de importância para o meu
olho.
Ainda não entendi por que herdei esse olhar
para baixo.
Sempre imagino que venha de ancestralidades
machucadas.
Fui criado no mato e aprendi a gostar das
coisinhas do chão -
antes que das coisas celestiais.
Pessoas parecidas de abandono me comovem:
tanto quanto as soberbas coisas ínfimas.

in "Retrato do Artista quando Coisa" (1998)

/



/
A NATUREZA É BELA?

A natureza não é bela, a natureza É.
E por ser, tem seu lado obscuro e seu lado luminoso.
Os mesmos deuses quecriaram os passarinhos e as flores,
riachos e arvoredos,
também criaram asbaratas e os carrapatos.
E vírus e bactérias e furacões e vulcões eterremotos.
Generosa, ela dá sustento a homens, animais e plantas.
Enfurecida, pode destruir cidades e populações em segundos.

Em relação à idade da Terra,
pode-se dizer que o homem surgiu há um minuto e
já estragou quase tudo.
Ora, se temos direito à contemplação, ao deslumbramento,
temos também o dever de respeitar as leis da natureza.
Nunca, em setor algum, direitos e deveres precisaram ser observados com tanto rigor.

Porque não estamos falando de revólveres nem de batatas ou livros.
Estamos falando de algo muito mais poderoso que nós,
que a nossa tecnologia, nossa arrogância e prepotência.
Estamos falando de uma deusa de bondade e beleza mutantes,
cujos poderes temos afrontado, pouco fazendo para conquistar-lhe a ternura.

Ana Suzuki




"É triste pensar que a natureza fala e que o gênero humano não a ouve. "
Victor Hugo


/
ACERCA DO DOMUYO

Don Marcelo, o sábio, contando-me...
O Domuyo é uma montanha.
Tem mais de 5.000 m de altura e é um dos muitos vulcões extintos na Patagonia. O cume é coroado de neves eternas e em baixo, no sopé, há fontes de águas termais, sulfurosas, quentes e medicinais.
Os índios Mapuches sempre o consideraram mágico, místico dotado de estranhos e misteriosos poderes. Ainda hoje, costumam levar seus doentes a banharem-se nas águas quentes e pedem ao Domuyo que os cure. Antiquíssimas lendas afirmam que grande parte da Cordilheira dos Andes é ôca e no seu interior vive uma civilização adiantadíssima, cujos ancestrais ensinaram aos nativos do continente a construírem pirâmides, a observar o curso das estrelas, engenharia, medicina, etc...

Ainda segundo Don Marcelo, existem portais secretos, entradas dissimuladas, em vários pontos da Cordilheira, sempre guardadas por um índio de aspecto pobre e humilde, mas capaz de reconhecer psíquica e espiritualmente alguém que chega e pode e deve ter permissão para entrar, mesmo que não saiba. Estes guardiães tem a capacidade de reconhecer as pessoas especiais que o Destino de alguma forma conduz até lá... por e para algum propósito... A vegetação ao redor do Domuyo é exuberante e rica, mostrando e escondendo mágicas trilhas, senderos...

Não cheguei a ir até o Domuyo, não tive a oportunidade, mas a descrição que Don Marcelo me fez permanece vívida até hoje. Meses após ter voltado, começaram os chamados "sonhos recorrentes" , ou seja, sonhos que se repetiam iguais noite após noite. Nesses sonhos eu me via frente ao Domuyo e conversava com a montanha num idioma desconhecido mas que me saía fluentemente dos lábios. Rios de lágrimas corriam de meus olhos enquanto eu contava para o Domuyo todas as tristezas e frustrações, todas as dores e angústias vividas nesta vida e em outras vidas... Frequentemente acordava com o rosto banhado em lágrimas, o peito arfante e murmurando palavras desconhecidas... Então, numa madrugada o poema nasceu... e os sonhos foram-se embora...


PARA EL DOMUYO...

Ayudame a llorar
Domuyo.
Abrazame
Con tus brazos de tierra y piedras
Y escucha mi corazón...
Saca de mis ojos
Todas estas antiguas lágrimas
Como lo hicistes ayer,
Cuando mi pueblo
Yá no era más el dueño
De sus flechas...
Tantas vidas se pasaron Domuyo,
Estuvimos tan separados,
Pero la esencia del espiritu
Se quedó intacta.
Y retorno ahora,
Hasta vos,
Con la imensa carga
De enseñanzas amargas...
Abrazame Domuyo
Y escucha mi corazón!
Ayudame a llorar
Domuyo,
Ayudame....a morir.....


Lenine de Carvalho
http://
www.loboazul.avbl.com.br






Adelaide Amorim
http://www.meublog.net/adelaideamorim/
/


Amplidão

Ampla.

A paisagem que se vê pela janela do ônibus. Esta que nos leva a outros lugares, outros tempos. Uma viagem dentro da viagem que fazemos.

É mais agradável assim, quando percebemos o todo da natureza ao redor da estrada - de mãos dadas. Realmente estamos juntos. E não me culpo por querer que seja sempre assim.

Ternura...

Mas quem saberia, de verdade?

O horizonte, distante, mas disponível ao toque do olhar, mostra uma história que não se revela. Não o futuro imediato. Não o final da história, em que um de nós cede e cada qual segue um caminho diverso. Pela morte ou pela vida.

Preferiria simplesmente deixar de pensar nisto e simplesmente me ver homem em seus olhos, não importando o que antes chamei de verdade ou o que um dia eu possa vir a chamar, que se sinta mulher em meus braços enquanto trilhamos o caminho conhecido de tantos e inédito a nós.

O momento. Algo que não se explica.

Transbordamos.

Mesclamos-nos em nossa jornada. Com os céus e as montanhas. Mesmo os arranha-céus da cidade onde deveremos chegar estão plenos de nós e do que espalhamos. Enxergo além da janela do ônibus. Você é a minha paisagem. Ampla.

Alessandro de Paula
http://alessandrodepaula.blogspot.com/





Asa Branca

Quando oiei a terra ardendo
Quá foguera de São João
Eu perguntei a deus do Céu, ai
Porque tamanha judiação

Qui braseiro, qui fornaia
Nem um pé de prantação
Pru farta dágua perdi meu gado
Morreu de sede meu alazão

Inté mesmo a asa branca
Bateu asas do sertão
Entonce eu disse, adeus Rosinha
Guarda contigo meu coração

Hoje longe muitas léguas
Numa triste solidão
Espero a chuva cair de novo
Pra mim vortá por meu sertão

Quando o verde dos teus óio
Se espraiá na prantação
Eu te asseguro, num chore não, viu?
Que eu vortarei, viu, meu coração.
Humberto Teixeira - Musicado por Luís Gonzaga, 1947


"A natureza não faz milagres; faz revelações."
Carlos Drummond de Andrade

/
...

A única coisa certa é que nós, humanos, somos a única espécie que tem poder para destruir a Terra. Nem os pássaros, nem os insetos, nem nenhum mamífero têm esse poder. Porém, se temos a capacidade de destruir a Terra, também temos a capacidade de a proteger.
Dalai Lama


A cebola

Cebola,
luminosa redoma
pétala a pétala
se formou tua formosura,
escamas de cristal te acrescentaram
e no segredo da terra escuras
e arredondou teu ventre de orvalho.
Pablo Neruda

a nova era

eu calipto
tu caliptas
nós caliptamos

com o machado, por dólares.
olho por olho, verde por verde.


Cláudia Villela de Andrade
http://chvillela.blog.uol.com.br/


Velhas árvores

Olha estas velhas árvores, — mais belas,
Do que as árvores mais moças, mais amigas,
Tanto mais belas quanto mais antigas,
Vencedoras da idade e das procelas . . .

O homem, a fera e o inseto à sombra delas
Vivem livres de fomes e fadigas;
E em seus galhos abrigam-se as cantigas
E alegria das aves tagarelas . . .

Não choremos jamais a mocidade!
Envelheçamos rindo! envelheçamos
Como as árvores fortes envelhecem,

Na glória da alegria e da bondade
Agasalhando os pássaros nos ramos,
Dando sombra e consolo aos que padecem!
Olavo Bilac


"Nunca o homem inventará nada mais simples nem mais belo do que uma manifestação da natureza. Dada a causa, a natureza produz o efeito no modo mais breve em que pode ser produzido."
Leonardo da Vinci


"O mundo tornou-se perigoso, porque os homens aprenderam a dominar a natureza antes de se dominarem a si mesmos."
Albert Schweitzer



//
/

Carta escrita em 1854 pelo chefe Seattle ao presidente dos EUA, Franklin Pierce, quando este propôs comprar as terras de sua tribo, concedendo-lhe uma outra “reserva”.

O Grande Chefe de Washington nos fez parte do seu desejo de comprar a nossa terra. O Grande Chefe nos fez parte da sua amizade e dos seus melhores sentimentos. Ele é muito generoso, pois bem sabemos que ele não parecisa da nossa amizade em troca.No entanto, nós iremos considerar a sua oferta, pois sabemos que se não vendermos, o homem branco virá com os seus fusís e tomará a nossa terra. Mas como é que se pode comprar ou vender o céu, o calor da terra? Essa idéia nos parece estranha. Se não possuímos o frescor do ar e o brilho da água, como é possível comprá-los? Cada pedaço desta terra é sagrado para meu povo. Cada ramo brilhante de um pinheiro, cada punhado de areia das praias, a penumbra na floresta densa, cada clareira e inseto a zumbir são sagrados na memória e experiência de meu povo. A seiva que percorre o corpo das árvores carrega consigo as lembranças do homem vermelho.

Os mortos do homem branco esquecem sua terra de origem quando vão caminhar entre as estrelas. Nossos mortos jamais esquecem esta bela terra, pois ela é a mãe do homem vermelho. Somos parte da terra e ela faz parte de nós. As flores perfumadas são nossas irmãs; o cervo, o cavalo, a grande águia são nossos irmãos. Os picos rochosos, os sulcos úmidos nas campinas, o calor do corpo do potro e o homem – todos pertencem à mesma família. Portanto, quando o Grande Chefe em Washington manda dizer que deseja comprar a nossa terra, pede muito de nós. O Grande Chefe diz que nos reservará um lugar onde possamos viver satisfeitos. Ele será nosso pai e nós seremos seus filhos. Portanto, nós vamos considerar sua oferta de comprar nossa terra. Mas isso não será fácil. Esta terra é sagrada para nós. Essa água brilhante que escorre nos riachos e rios não é apenas água, mas o sangue de nossos antepassados. Se lhes vendermos a terra, vocês devem lembrar-se de que ela é sagrada, e devem ensinar às suas crianças que ela é sagrada e que cada reflexo nas águas límpidas dos lagos fala de acontecimentos e lembranças da vida do meu povo. O murmúrio das águas é a voz do pai do meu pai. Os rios são nossos irmãos, saciam nossa sede. Os rios carregam nossas canoas e alimentam nossas crianças. Se lhes vendermos nossa terra, vocês devem lembrar e ensinar a seus filhos que os rios são nossos irmãos, e seus também. E, portanto, vocês devem dar aos rios a bondade que dedicariam um irmão.

O homem vermelho sempre recuou diante do homem branco, como a bruma das montanhas foge diante do sol nascente. Mas as cinzas dos nossos pais são sagradas Os seus túmulos são uma terra santa. Assim, estas colinas, estas árvores, este recanto de terra são sagrados aos nossos olhos. Sabemos que o homem branco não compreende nossos costumes. Uma porção da terra, para ele, tem o mesmo significado que qualquer outra, pois é um forasteiro que vem à noite e extrai da terra aquilo de que necessita. A terra não é sua irmã, mas sua inimiga, e quando ele a conquista, prossegue seu caminho. Deixa para trás os túmulos de seus antepassados e não se incomoda. Rapta da terra aquilo que seria de seus filhos e não se importa. A sepultura de seu pai e os direitos de seus filhos são esquecidos. Trata sua mãe, a terra, e seu irmão, o céu, como coisas que possam ser compradas, saqueadas, vendidas como carneiros ou enfeites coloridos. Seu apetite devorará a terra, deixando somente um deserto. Eu não sei, nossos costumes são diferentes dos seus. A visão de suas cidades fere os olhos do homem vermelho. Talvez seja porque o homem vermelho é um selvagem e não compreenda. Não há um lugar quieto nas cidades do homem branco. Nenhum lugar onde se possa ouvir o desabrochar de folhas na primavera ou o bater das asas de um inseto. Mas talvez seja porque eu sou um selvagem e não compreenda. O ruído parece somente insultar os ouvidos. E o que resta da vida se um homem não pode ouvir o choro solitário de uma ave ou o debate dos sapos ao redor de uma lagoa à noite? Eu sou um homem vermelho e não compreendo. O índio prefere o suave murmúrio do vento encrespando a face do lago, e o próprio vento, limpo por uma chuva diurna ou perfumado pelos pinheiros.


O ar é precioso para o homem vermelho, pois todas as coisas compartilham o mesmo sopro – o animal, a árvore, o homem, todos compartilham o mesmo sopro. Parece que o homem branco não sente o ar que respira. Como um homem agonizante há vários dias, é insensível ao mau cheiro. Mas se vendermos nossa terra ao homem branco, ele deve lembrar que o ar é precioso para nós, que o ar compartilha seu espírito com toda a vida que mantém. O vento que deu a nosso avô seu primeiro inspirar também recebe seu último suspiro. Se lhes vendermos nossa terra, vocês devem mantê-la intacta e sagrada, como um lugar onde até mesmo o homem branco possa ir saborear o vento açucarado pelas flores dos prados. Portanto, vamos meditar sobre sua oferta de comprar nossa terra. Se decidirmos aceitar, imporei uma condição: o homem branco deve tratar os animais desta terra como seus irmãos. Sou um selvagem e não compreendo qualquer outra forma de agir.

Vi um milhar de búfalos apodrecendo na planície, abandonados pelo homem branco que os alvejou de um trem ao passar. Eu sou um selvagem e não compreendo como é que o fumegante cavalo de ferro pode ser mais importante que o búfalo, que sacrificamos somente para permanecer vivos. O que é o homem sem os animais? Se todos os animais se fossem, o homem morreria de uma grande solidão de espírito. Pois o que ocorre com os animais, breve acontece com o homem. Há uma ligação em tudo. Vocês devem ensinar às suas crianças que o solo a seus pés é a cinza de nossos avós. Para que respeitem a terra, digam a seus filhos que ela foi enriquecida com as vidas de nosso povo. Ensinem às suas crianças o que ensinamos às nossas, que a terra é nossa mãe. Tudo o que acontecer à terra, acontecerá aos filhos da terra. Se os homens cospem no solo, estão cuspindo em si mesmos. Isto sabemos: a terra não pertence ao homem. O homem pertence à terra. Isto sabemos: todas as coisas estão ligadas como o sangue que une uma família. Há uma ligação em tudo. O que ocorrer com a terra recairá sobre os filhos da terra.

O homem não tramou o tecido da vida; ele é simplesmente um de seus fios. Todo o que fizer ao tecido, fará a si mesmo. Mas nós iremos considerar a sua oferta de ir para a reserva que destinam ao meu povo. Viveremos afastados e em paz. Que importa onde passaremos o resto dos nossos dias? Nossas crianças viram os seus pais humilhados na derrota. Nossos guerreiros conheceram a vergonha. Depois da derrota, passam os dias em ócio e sujam seus corpos com comidas doces e bebidas fortes. Que importa onde passaremos o resto dos nossos dias? Já não são muitos. Mais algumas horas, alguns invernos, e já não restará nenhum dos filhos das grandes tribos que viveram outrora nesta terra, ou que vagam pelos bosques, em pequenos grupos; nenhum deles estará presente para chorar sobre os túmulos de um povo outrora tão poderoso, tão cheio de esperança como o vosso. Mas porque chorar sobre o fim do meu povo? As tribos são feitas de homens, não mais. Os homens vêm e vão, como as ondas do mar. Mesmo o homem branco, cujo Deus caminha e fala com ele de amigo para amigo, não pode estar isento do destino comum. É possível que sejamos irmãos, apesar de tudo. Veremos.
De uma coisa estamos certos – e o homem branco poderá vir a descobrir um dia: nosso Deus é o mesmo Deus. Vocês podem pensar que O possuem, como desejam possuir nossa terra. Mas não é possível. Ele é o Deus do homem, e Sua compaixão é igual para o homem vermelho e para o homem branco. A terra lhe é preciosa, e feri-la é desprezar seu criador. Os brancos também passarão; talvez mais cedo que todas as outras tribos. Contaminem suas camas, e uma noite serão sufocados pelos próprios dejetos.
Mas quando de sua desaparição, vocês brilharão intensamente, iluminados pela força do Deus que os trouxe a esta terra e por alguma razão especial lhes deu o domínio sobre a terra e sobre o homem vermelho. Este destino é um mistério para nós, pois não compreendemos que todos os búfalos sejam exterminados, os cavalos bravios sejam todos domados, os recantos secretos da floresta densa impregnados do cheiro de muitos homens, e a visão das colinas maduras para a colheita obstruída por fios que falam. Onde está o arvoredo? Desapareceu. Onde está a águia? Desapareceu. O que significa dizer adeus ao pônei ágil e à caça? É o final da vida e o início da sobrevivência.

Guardem na memória a recordação deste país, tal como está no momento em que o tomam. E com toda a sua força, todo o seu pensamento, todo o seu coração, preservem-no para os seus filhos, e amem-no como Deus nos ama a todos. Assim, iremos considerar a sua oferta de comprar a nossa terra. E se aceitarmos, será para estar seguros de receber a reserva que nos prometeram. Lá, talvez, poderemos terminar as breves jornadas que nos restam a viver segundo os nossos desejos. E quando o último homem vermelho tiver desaparecido desta terra, e que a nossa lembrança não for mais do que do que a sombra de uma nuvem flutuando na planície, estas margens e estas florestas abrigarão ainda os espíritos do meu povo. Pois eles amam esta terra como o recém-nascido ama o batimento do coração da sua mãe. Assim, se nos lhes vendermos a nossa terra, amem-na como nós a amamos. Tomem conta dela como nos o fizemos. Nós sabemos de uma coisa: nosso Deus é o mesmo Deus. Ele ama esta terra. O próprio homem branco não pode escapar ao destino comum. Talvez sejamos irmãos.Veremos.

Texto transcrito no compêndio de Joseph Ki-Zerbo, Compagnons du Soleil, Anthologie des grands textes de l’humanité, Ed. La Découverte/UNESCO, Paris, 1992; e de Mehlem Adas, Geografia da América, Ed. Moderna 1987.
Link
/
"Um dia de sol"
/
Um dia de sol
na baía de Guanabara
basta

Flanar
com um livro no colo
sobre as águas milenares
basta

Olhar
para a fêmea de ombros
de alabastro
que olha para
a baía de Guanabara
basta
/
Receber
o afago do vento
e deixá-lo levar
os problemas em casa
basta

Ser um
com a paisagem
basta

para saber que existe um Coreógrafo cósmico.
/
André Machado
http://andremachado.blogspot.com/
/

Blogs & Sites:

Crescente Fértil é uma ONG dedicada a projetos ambientais, culturais e de comunicação. Criada em 1994, com sede em Resende-RJ, focaliza seu trabalho em ecossistemas e comunidades de montanha, além de fomentar projetos de proteção e recuperação florestal. Conheça mais em www.crescentefertil.org.br

WWF - Brasil - http://www.wwf.org.br/
/
http://www.socioambiental.org/home_html
/
SOS MATA ATLÂNTICA - http://www.sosmatatlantica.org.br/
/
Reportagens, salada verde, colunas, entrevistas, o eco.net - http://www.oeco.com.br/
/
Amazônia -http://www.amazonia.org.br/
/
Reflexões sobre educação ambiental (Portugal) - http://bioterra.blogspot.com/






História de oportunismo político
O novo "hit" na internet é um texto que descreve o comportamento do Partido dos Trabalhadores antes e depois da posse do presidente Lula. O texto permite a leitura nos dois sentidos, com conotações opostas.
Veja:




Ministério da Propaganda como emblema do atraso

Transcrevo a seguir artigo do professor Sérgio Colle, do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade Federal de Santa Catariana (UFSC) e que está publicado no Diário Catarinense desta sexta-feira.

Vale a pena a leitura, pois a ajuda a entender por quê o Brasil continua e continuará subdesenvolvido, ostentando a condição de lixo ocidental. O artigo tem por título “A aritmética de Franklin”.>>
Aluizio Amorim

"Não é o cientista, naturalista, pensador e estadista Benjamin Franklin a quem o autor se refere. Longe disto, refere-se a Franklin Martins, o agraciado por Lula com um cargo público para reeditar um "Ministério da Propaganda", bem ao gosto dos órfãos de Stalin.

Esse senhor propõe uma TV pública, já em vias de implantação, através do expediente arbitrário da medida provisória. Eles argumentam, sem nenhum pejo, que os recursos federais (oriundos de quem paga os impostos, quais sejam, os trabalhadores) destinados a tal depaupero não somarão mais que R$ 350 milhões.

Esta formidável cifra nos obriga a fazer um exercício aritmético elementar. Com efeito, se considerarmos que cada anfiteatro de ensino, de capacidade de 120 alunos custe R$ 200 mil, incluindo-se a completa infra-estrutura de informática de imagem e som e mobiliário, poder-se-ia construir não menos que 1.750 anfiteatros por ano nas universidades públicas brasileiras, uma razão de 30 anfiteatros por universidade federal por ano.É oportuno lembrar aos leitores que salas de aula/anfiteatros são indispensáveis nas modernas universidades. Por outro lado, as salas de aula das universidades brasileiras mais se assemelham às improvisadas salas de aula de escolas isoladas públicas do interior do país, do que propriamente a ambientes de ensino.
Esses recursos seriam suficientes também para modernizar laboratórios de ensino e pesquisa de todos os cursos de Engenharia Mecânica das universidades federais do país, a maior parte dos quais abandonados a sua sorte.

Deixo aos leitores o exercício de calcular outros benefícios, para evidenciar o barbarismo autoritário urdido pelos stalinistas de plantão, em detrimento dos interesses da nação brasileira. Esse mau exemplo ajuda a explicar nosso subdesenvolvimento."
Enviado por Miguel.

Vazou !!!
Fax do presidente da república endereçado ao Senador Avacalheiros pedido empenho para a votação da CPMF foi interceptada pela equipe de jornalismo de Pérolas Políticas. No fax o presidente ressalta, também, sua felicidade com a absolvição do presimente do senado.
Enviado por Charles.


/
APRENDENDO A SER UM MISERÁVEL
por Marcelo Scotton

Um amigo petista disse que Lula e o PT gostam de pobres. Concordei na hora, é claro. Tanto gostam que mantêm o país com uma massa de pobres e miseráveis do jeito que estão, devidamente abastecidos com programas assistencialistas paliativos e nenhuma perspectiva de sair dessa situação. O desemprego continua em alta, de mãos dadas com o Bolsa Família.

Na marcha rumo ao modelo venezuelano de massificação da pobreza, a classe média sofreu um duro golpe: a prorrogação da CPMF. Ou seja: não satisfeitos com o elevado número de pobres e miseráveis existentes no país, a saída agora é achatar a classe média, trazendo-a para a pobreza, impingindo-lhes impostos cada vez maiores e retorno cada vez menor.

É claro que a classe média também tem culpa no cartório. Afinal, senão toda ela, ao menos boa parte oferece cumplicidade ao governo que aí está. Não só nos conceitos politicamente corretos, mas também na aceitação da barganha que o governo oferece. Assim como a felicidade dos pobres é garantida com o assistencialismo paliativo e populista, a felicidade da classe média é mantida com a oferta de milhares de concursos públicos todos os anos.

O que poucos pensam – ou tem condição de pensar – é como estes milhares de empregos públicos criados a cada ano serão pagos. Muitos pensam que a solução é a simples emissão de moedas, desconsiderando os princípios da inflação.
Enviado por Miguel.



Brasília tem cidade irmã na Alemanha

Nossos aloprados representantes no Congresso já têm uma missão adicional em suas agendas: ir a Sömmerda, na Turíngia, região central da Alemanha, propor oficialmente às autoridades locais sua transformação em cidade irmã de Brasília. Criada no século 17, a pacata Sömmerda tem cerca de vinte e dois mil habitantes. Foi ocupada pelos americanos e depois pelos russos, na Segunda Guerra Mundial. Sömmerda resistiu a bombas e tanques. "Bombardeada" diariamente por escândalos arrasadores, Brasília também resiste. É ou não é uma incrível irmandade?
Enviada pelo Carlos
/




Da tela para a cama.

Depois do Kit Tropa de Elite vendido nas piores casas do ramo, chega a fantasia de elite. Mas essa até que eu gostei.
Quem quiser chicotinho e algemas é só falar, o sexyshopping arruma fácil! ;))
http://extra.globo.com/



Tem versão camufladinha também.

/

Sugestão de presente de Natal:

/



/

Convenção de gatos exóticos acontece nos EUA
Bichanos que participam do evento foram apresentados à imprensa em coletiva.
Convenção acontece neste final de semana no Madison Square Garden.



Os bichanos dos Estados Unidos estão ansiosos para um grande evento que acontece neste final de semana em uma das casas mais elegantes de Nova York. No próximo sábado, dia 13, será aberta a 5ª Convenção Anual de Gatos Exóticos.
Alguns astros do evento, que acontece no Madison Square Garden, foram apresentados em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (10). Empolgados, os bichanos mostraram suas habilidades em diversas áreas, como informática e pistas de obstáculos.
Fonte G1.

/

Prêmio IgNobel - 2007

O esforço de cientistas que se debruçaram sobre complexas questões como porque os pica-paus não têm dor de cabeça enquanto bicam os troncos das árvores à procura de besouros, ou o papel da massagem retal na cura do soluço foi reconhecido nesta quinta-feira com o prêmio IgNobel, uma sátira ao Nobel, entregues em Cambridge (Massachussets) apresentados por ganhadores do prestigiado prêmio concedido pela Academia Real Sueca.

Ivan Schwab, da Universidade da Califórnia Davis, e Philip May, da Universidade da Califórnia Los Angeles, foram premiados com o "Ig" de Ornitologia por seu trabalho pioneiro sobre a capacidade dos pica-paus em evitar dores de cabeça.

Wasmia al-Huty, da Universidade do Kuwait, e Faten al-Mussalam, da Autoridade Pública do Kuwait para o Ambiente, levaram para casa o prêmio de Nutrição por mostrarem que besouros comedores de estrume são na verdade exigentes na escolha de sua refeição.

Tradição

Os prêmios são entregues para "honrar as experiências que primeiro fizeram as pessoas rir, e que depois as fizeram pensar", segundo os organizadores. Aos vencedores é dado um minuto para fazerem seu discurso de agradecimento, com o limite de tempo estritamente regulado por uma falante menina de oito anos.As solenidades envolvem tradicionalmente espectadores atirando aviõezinhos de papel no palco enquanto o professor de Harvard Roy Glauber voluntariamente varre tudo, como faz há 10 anos. Glauber insistiu em se manter no serviço de faxina para a 16ª cerimônia anual deste ano, mesmo tendo sido o vencedor do Prêmio Nobel de Física do ano passado.

Apesar do tom irreverente da cerimônia, os prêmios são levados cada vez mais a sério pela comunidade científica, com oito dos dez vencedores deste ano pagando do próprio bolso para comparecer à cerimônia.Um deles, incapaz de comparecer à cerimônia por motivos familiares, foi Howard Stapleton, da Merthyr Tydfil (Gales), que foi contemplado com o prêmio da Paz por ter inventado um repelente eletromecânico de adolescentes. O aparelho emite um barulho irritante projetado para ser ouvido apenas por adolescentes, e não por adultos. Anteriormente ele usou a mesma tecnologia para fazer ligações telefônicas ouvidas unicamente por adolescentes, e não por seus professores.

Três cientistas americanos, Lynn Halpern, Randolph Blake e James Hillenbrand, foram reconhecidos com o prêmio Acústico por conduzirem experimentos para saber porque as pessoas não suportam o som de unhas arranhando o quadro negro. E dois pesquisadores da Australia's Commonwealth Scientific and Research Organisation, que descobriram quantas fotos você precisa tirar para assegurar que ninguém em um grupo pisque, receberam o prêmio de Matemática. Francis Fesmire, da Universidade do Tennessee, recebeu pessoalmente o "Ig" de Medicina por seu trabalho "Tratamento de soluços com massagem digital retal", enquanto que o de Física ficou com Basile Audoly e Sebastien Neukirch, da Universidade de Paris, por terem, enfim, desvendado a tendência do espaguete seco em se quebrar em mais de dois pedaços.

Enquanto as conclusões de um grupo de cientistas da Universidade de Valência e da Universidade das Ilhas Baleares (Espanha) não estão totalmente claras, os juízes consideraram seu estudo sobre a "velocidade ultra-sônica no queijo cheddar quando afetado pela temperatura" merecedor do Prêmio de Química. Também premiado pela pesquisa com queijos, Bart Knols, da Universidade Agrícola de Wageningen (Holanda), conquistou o "Ig" de Biologia por sua contribuição para a pesquisa que mostra que os mosquitos fêmeas da malária são atraídos pelo odor do queijo limburger e do chulé.Os últimos vencedores do prêmio foram Don Featherstone, criador do flamingo rosa de plástico; Kees Moeliker, que registrou o primeiro caso cientificamente comprovado de necrofilia homossexual em patos; e Stefano Ghirlanda, co-autor do estudo "Galinhas preferem humanos bonitos".
Fonte: Folha.