Dia das Mães
₢ yuri bonder
;
;


De tantas dores, grandes amores
tantos que já se foram, outros que nunca estiveram
ter você era aconchego subentendido
;
A mão estendida que nunca chegava,
apenas bordava preocupada
;
Entre tantos pontos e motivos coloridos,
desenhos de uma cena feliz
Ali ao lado, eu chorava baixinho
uma perda, uma dor, um amor nunca acontecido
;
Baixinho eu chorava amparada pela sua presença
logo ali ao alcance das palavras nunca ditas...
;
andrea augusto©angelblue83– 2006
;
;
De todas as coisas findas
o outono traz sempre o amarelo
folhas no chão
 e o tempo repetindo estação.
;
;



Tempo


Desde que você foi embora
o silêncio adquiriu som de melodia triste
o dia insiste em nascer
e é sempre provisório
A noite não, esta se instalou
como tempo definitivo,
e ainda que o sol voltasse
e voltaria
surgiria estranho no céu
como se dele não fizesse parte
;
Nesse momento não há lugar nenhum no mundo para ir,
ainda que por vontade própria ou imprópria intervenção do destino
sendo assim não há nada que me faça ficar, não há caminho, nem refúgio
Afora isso, entre a noite e a noite, estão as sombras.
;
andrea augusto©angelblue83
;
;
* É estranho como poemas que escrevi há tempos atrás soam tão atuais.
A quem de direito Feliz Dia das Mães.

10 comentários:

    Oi,Andrea!

    A atualidade dos seus poemas se explica pelos sentimentos que eles expressam,perenes,eternos.
    Há uma tristeza neles,uma melancolia,mas há,sobretudo,a beleza de um amor de verdade.

    É sempre uma emoção vir aqui.Sei que você nem faz idéia disso...

    Uma boa tarde de domingo pra você.
    Beijos com carinho e saudade.

    Para se ter boas ideias é preciso ter uma mente flexível. Uma mente que não consegue viajar, pensar rápido e se fixar quando preciso, não é capaz de criar nada que seja desagradável. É como um círculo vicioso: você é grosso, chato e insuportável. Não consegue imaginar nada agradável, bonito e sadio. Como consequência, produzirá o feio e o sem efeito. Entretanto, se você sabe ser feliz, agir cordialmente, fazer palhaçadas e deixar as pessoas felizes, certamente conseguirá produzir belas coisas, capazes de gerar bons sentimentos e mais felicidade, que sempre retornam a você. Seu blog me causa isso: coisas boas e felicidade, por isso estou sempre aqui: semana após semana. Quando não há novos posts eu fico triste, mas me farto no seu vasto acervo. É muito bom saber que alguém dedica parte do seu tempo para fazer mais e mais pessoas felizes. Obrigado pelas belas palavras e por fazer dos nossos dias, dias mais amenos e belos. Abçs, ZAn.

    lindos poemas!
    guarde para um livro futuro!
    bjos,

    On segunda-feira, 11 maio, 2009 Mariana Braga disse...

    Poemas que eu escrevo e depois leio também me servem muitas vezes. Adoro seus poemas.
    =)
    Não abandona seu blog!

    Muito triste...
    bjs Laura

    Que a despeito da inevitável dor sentida, haja sol também nas coisas findas, e um abraço aconchegado da lembrança que borda auroras, caminhos novos, sorrisos. Estejas bem. :)

    Deixando-te um beijo, Andrea.

    Oi Andrea,
    Parabéns pelos poemas e pelo blog. Creio que você não deveria abandonar o blog por causa de "reviravoltas desagradáveis". pois até a nossa morta pode guardar boas surpresas, não é? (genial o post sobre a sua morte!).
    Sou poeta e tenho um blog de poemas e crônicas para divulgar meu
    trabalho. Se puder, passe por lá! Grande abraço!


    CURTO-CIRCUITO (Victor Colonna)


    De repente eu paro e olho: é ele!
    E desengato marcha-a-ré crescente
    Meu rosto fica roxo, vermelho
    E desamarra-se o elo da corrente.

    Curto-circuito, incêndio, tragédia!
    E meu cabelo arrepiado espeta
    E meu pulso desencapado te choca
    E meu corpo endiabrado, capeta.

    E meu peito pega fogo: vida
    Um calor que se desprende e solta
    Amor é caminho longo: é ida
    É só ida. Não tem volta.



    TEMPO (Victor Colonna)

    Tempo cura tudo
    Da ferida aberta,
    À fratura exposta.
    Tempo é sempre resposta
    certa!



    Durante muito tempo vivi apenas das lembranças do passado e da esperança no futuro. Vivia apressado, estressado, cansado, era como se nunca sobrasse tempo para mim.

    Recentemente, resolvi assumir o que sou e fazer o que gosto: escrever.

    Desde então, apesar de trabalhar muito mais - não é fácil a vida de escritor neste país - o tempo se fez presente pra mim.

    As horas, como por milagre, multiplicam-se, desdobram-se generosas , tiro mais de mim e sobra mais de mim, sobra mais para mim.

    Divido-me em mil tarefas mas sinto-me inteiro, íntegro.

    Sei não. Tempo parece ser muito mais uma questão de amor do que de relógio!

    Sim, a poesia tem de ser atemporal; e "alocal" mesmo quando trata de um tema muito especifíco, de uma província.

    Um abraço!

    Andrea,

    Vim lhe desejar um Feliz Aniversário,já tarde da noite,mas ainda no dia.Enviei-lhe uma mensagem por e-mail também,atrevido que sou.

    Que o seu dia tenha sido maravilhoso,digno da aniversariante que é você,uma pessoa especial,mulher sensível,inteligente,de beleza plena e bom coração.

    Parabéns por mais um ano de uma linda existência.Que muitos outros venham,sempre repletos de saúde e amor.

    FELIZ ANIVERSÁRIO!FELICIDADES SEMPRE!
    Beijos com carinho e admiração.