Pantera...



Farrah Fawcett
Em 2 de fevereiro de 1947, nasceu Farrah Fawcett, um dos maiores símbolos da televisão americana da década de 1970
2 fev., 2016



Farrah alcançou o estrelato no seriado de televisão 'As Panteras', de 1976 (Foto: Wikipedia)



Um dos maiores símbolos da televisão americana da década de 1970, a atriz Mary Farrah Leni Fawcett, mais conhecida como Farrah Fawcett, nasceu em 2 fevereiro de 1947, na cidade de Corpus Christi, no Texas, EUA.
Com menos de um mês de vida, ela foi submetida a uma cirurgia para extrair um tumor no intestino da qual se recuperou rapidamente. Após cursar o ensino fundamental em uma escola católica e o ensino médio na escola W.B Ray, ambas em Corpus Christi, ela se mudou para Austin, capital texana, para estudar na Universidade do Texas, onde cursou microbiologia.
Os colegas de classe de Farrah a elegeram uma das 10 pessoas mais bonitas do campus e fotos da jovem começaram a ser usadas em anúncios pelo publicitário David Mirisch, que sugeriu que Farrah buscasse uma carreira como atriz de cinema.
Encorajada pelos amigos e pelo conselho de Mirisch, e após convencer os pais, Farrah se mudou para a Califórnia, onde conseguiu emprego como modelo. No entanto, seu verdadeiro objetivo era atuar. Seu primeiro papel foi em uma produção franco-italiana filmada nos EUA chamada “Un Homme Qui Me Plaît” (“Um Homem Como Eu”), de 1969. Posteriormente, conseguiu uma ponta em um episódio do seriado “R.F.D. Mayberry” (1969). Após participar de outros papéis em episódios de seriados, Farrah conseguiu uma personagem permanente no seriado “McCloud” (1974) e, depois, no seriado “Harry O” (1974-76).
Em 1973, ela se casou com Lee Majors, que atuou ao lado dela em “O Homem de Seis Milhões de Dólares” (1973). O relacionamento durou cinco anos. Foi nessa época que Farrah alcançou o estrelato, em 1976, com os seriado Charlie’s Angels (“As Panteras”, no Brasil), onde ela interpretava a detetive particular Jill Munroe. O relacionamento do casal, no entanto, acabou quando o amigo de Majors, o ator Ryan O’Neal, foi apresentado a Farrah, por quem se apaixonou imediatamente, dando fim à amizade. Farrah e O’Neal passaram 17 anos juntos e, em 1985, tiveram um filho chamado Redmond O’Neal.
Com o sucesso da série, Farrah se lançou em busca da carreira cinematográfica. No entanto, os filmes nos quais atou nunca renderam o mesmo sucesso alcançado nos seriados de televisão. Ela atuou em filmes como “Murder in Texas” (1981), “Burning Bed” (1984), que rendeu a Farrah uma indicação ao Emmy, e “Poor Little Rich Girl” (1987).
Em 1995, Farrah posou nua para a revista Playboy, se tornando o segundo recorde de vendas da história da versão americana da revista, atrás apenas da modelo e lutadora de wrestling Chyna.
Em 2006, aos 59 anos, Farrah foi diagnosticada com câncer de cólon e iniciou tratamento. Nesta mesma época, ela reatou com O’Neal. Em maio daquele ano, Farrah detalhou sua luta contra o câncer no documentário “Farrah’s Story”, exibido pela rede NBC e assistido por cerca de 9 milhões de espectadores. Em outubro, Farrah se submeteu a uma cirurgia para retirada do tumor. Nas seis semanas após a cirurgia, ela passou por sessões de quimioterapia e radioterapia até que, no final de 2007, recebeu o diagnóstico de que estava curada.
Eufórica ela anunciou aos fãs e amigos ter vencido a luta contra a doença. Porém, a alegria durou pouco, e meses depois ela anunciou que o tumor havia voltado. Farrah iniciou novamente o tratamento. Debilitada pela doença e já sem cabelo, ela passava a maior parte do tempo na cama, recebendo apenas amigos próximos, como as atrizes Jaclyn Smith e Kate Jackson, suas companheiras no seriado “As Panteras”. Farrah morreu na manhã do dia 25 de junho de 2009, aos 62 anos, no Hospital Saint John em Santa Mônica, Califórnia.



0 comentários: