por falar em saudade...




E quando penso em saudade, penso que a minha saudade tem sempre nome e sobrenome, RG e CPF. É tão particular, tão única tão de quem ou do sinto que não cabe dizer: sinto saudades dele. "Dele" atende pelo nome de Ricardo Bastarrica Lapuente, é dele que sinto saudades, é por causa dele que a casa fica enorme sempre que viaja, mas é também por causa da minha mãe: Dona Neusa.
Nessa época do ano, ausência é o que mais preenche meus dias e minhas noites.
Indaoutrodia, vi no Face uma imagem da minha mãe com antigas colegas de trabalho. Não esperava ver e dei de cara. Chorar foi a reação imediata, nem sabia que andava precisando tanto chorar tanto, mas estava e sei que não foi só pela saudade dela, certamente haviam mais coisas e eu não parei para pensar. Só chorei. E foi assim que dormi na noite daquele dia, com todas as minhas ausências.




0 comentários: