O lado podre da Web.
/
/
/


Apesar da imagem engraçada, acho sinceramente que algumas pessoas deveriam morrer de inanição afetiva. É incrível como a troco de nada ou talvez dos seus 15 segundos de fama, algumas pessoas como esse tal de Daniel Penteado da história abaixo são capazes de brincar com os sentimentos dos outros.
Bom, assim como conheço casos lindos que começaram atravês de blogs, grupos, listas etc, tem também o outro lado da moeda.
É mais ou menos assim... Leiam.
/

/


Garanhão Virtual
/
Tudo começou no Orkut, no MSN e no NetLog. Logo os sites de relacionamento não bastaram. Animado pelas 267 amizades virtuais, todas com mulheres, Daniel Penteado, 28, resolveu pegar a estrada para testar seu poder de sedução ao vivo. O resultado é uma viagem de 23 dias, por 14 cidades. Com uma conquista programada em cada "porto", o Don Juan da internet teve sucesso em oito.

O analista de mercado criou um roteiro, intitulado de "Projeto Marisa": de mulher para mulher". Com o slogan de uma rede de lojas femininas, a empreitada ganhou a aprovação de candidatos a co-piloto. "Tinha um monte de amigos que queriam ir comigo, mas não ia dar certo. Queria uma coisa legal. Cafajeste, mas saudável."

Antes de pegar a estrada, o paulistano trocou seu antigo carro por um modelo mais "quente". "Dá um pouco mais de segurança, e a mulherada adora." Comprou também um iPhone. "Enquanto estava numa cidade, já falava com outras no Orkut."

Daniel estabeleceu três mandamentos para a jornada. O primeiro era o de que não mentiria. Todas sabiam do objetivo da viagem. "Falava que era despedida de solteiro." Mas, ele não pretende se casar tão cedo. "Quando encontrar uma mulher, quero estar tranqüilo", diz, sem desperdiçar a chance de uma cantada. "Quando encontrar uma jornalista, assim, da Folha, sabe?"

A segunda regra era a de não abortar o encontro caso a moça fosse feia. "Não podia fazer desfeita." O último mandamento da cartilha: não seria insistente. "Se alguma desistisse, nada daquela história de "Eu viajei 3.000 quilômetros só para te ver"."

Após marcar os encontros via internet, Daniel tinha 14 conquistas pela frente. Para quem acha que é fácil, ele avisa: "Não adiciono qualquer uma". Para não se cansar, fez a rota para ter uma "amiga" a cada 300 km.

No dia 11 de julho, ele deixou São Paulo em direção a Ubatuba, onde deu início à aventura. Encontrou com a primeira das garotas do projeto, uma "amiga" do NetLog. Passou a noite com a paulista de Taubaté. No dia seguinte, seguiu para Itaguaí, a 73 km do Rio de Janeiro.

A chegada ao Estado não foi das melhores. Três meses após agendarem o encontro, a segunda "vítima" estava namorando. Longe de perder o ânimo com o "bolo", seguiu para a capital fluminense, onde tinha, supostamente, três pretendentes à espera.

Não foi bem assim: a primeira era casada, e a segunda não respondeu às suas ligações. Ao descobrir como é dura a vida de sedutor virtual, ele deu um cano na terceira. Deixou o Rio com uma certeza: "Não gostei de ir sozinho para uma cidade grande".

Daniel recebeu sua recompensa 72 km adiante. Em Petrópolis, aguardava por ele uma das mais esperadas do "Projeto Marisa". Em sua primeira noite na cidade, levou a loira, uma professora de dança do ventre, a um barzinho, e sua sorte mudou. "Aí, começou a dar uma animada na viagem." A experiência foi tão boa que durou dois dias.

Daniel, então, seguiu para Minas Gerais. Nem se importou quando percorreu 438 km até Paraguaçu para ficar no zero a zero. A garota do Orkut ficou doente. Depois de 615 km rodados, o analista tinha marcado apenas dois gols e quatro bolas fora.

Com o placar negativo, seguiu até Ouro Preto para fazer turismo. Nas ladeiras da cidade histórica, encontrou um grupo de estudantes. Interessou-se por uma, mas ao perceber que tinha outro na parada, deixou para lá. A justificativa é fofa: não ser a causa de um rompimento. "Já magoei muito as mulheres", confessa.

No dia seguinte, Daniel tentava encontrar a saída para Brasília, quando mais uma vez o destino deu uma mãozinha. Três belas jovens apareceram para ajudar. Ele retribuiu o socorro indo à república das meninas fazer caipirinhas. "Estava mirando nas três, mas acabei ficando com uma." Na hora de partir, uma segunda menina do trio sugeriu que ele voltasse, de preferência quando a amiga não estivesse.

Animado, ele deu carona para as garotas até Belo Horizonte, mas tinha de vencer 740 km até Brasília. Após confirmar o encontro com a paquera brasiliense, na hora H ela mudou de idéia. Tinha uma segunda amiga virtual na cidade, mas para não se decepcionar novamente, resolveu partir para o método convencional. Em um show do Jorge Ben, Daniel curtiu a noite ao lado de uma conquista local.

Dirigiu 210 km rumo a Goiânia, mas caiu no conto do vigário. "O perfil era fake", explica, sobre as páginas falsas do Orkut. Segundo o xavequeiro, é comum garotas com baixa auto-estima criarem perfis como mulheres lindas.

Antes que se sentisse sozinho, recebeu um recadinho de uma garota de Rio Verde, interior de Goiás. A morena de cabelos longos e lisos havia terminado um namoro e estava dando férias ao coração. "Está na hora do meu trabalhar", respondeu o conquistador da internet, que dirigiu 235 km para encontrá-la.

A visita foi um sucesso. "Ela fingiu que estava doente para não ir trabalhar." Foi tão bom que ficou quatro dias por lá.

Na cidade goiana, Daniel flertou com o perigo. Foi fisgado pela atendente da lan house. "Tão linda e simpática", suspira. A paixão à primeira vista o levou a quebrar seu primeiro mandamento e acabou mentindo. "Meio que infringi as regras. " Sem que a razão de sua ida a Rio Verde soubesse, Daniel se despediu, mas continuou por lá mais uma noite, na companhia da nova "amiga".

Enquanto tentava atender à demanda goiana, Daniel ia marcando encontros em São Paulo. Ele tem uma explicação para ser tão solicitado: "Não consigo parar de fazer elogios às mulheres". Pelo jeito, elas acreditam.

Cansado depois do sucesso em Goiás, Daniel rodou 770 km até Assis (SP). Enquanto conversava com seu futuro encontro pelo MSN, descobriu que a garota era menor de 18 anos. Diz que parou apenas para dormir, sozinho.

No Paraná, Daniel fez uma parada em Miraselva para encontrar uma velha amiga. Fez também um programa espiritual: "Fazia tempo que não ia à missa, senão fico muito carnal", diz. "É gostoso e você vai se perdendo."

Com a alma purificada, Daniel percorreu 530 km até Foz do Iguaçu, a última parada. Ficou sem gasolina e perdeu o encontro - o último agendado pelo MSN). Resolveu ir até o Paraguai comprar um GPS. Numa loja de eletrônicos da Ciudad del Leste, o paulistano encontrou novo alvo.

Assim que avistou a "linda paraguaia" pediu o endereço do MSN. "No mesmo dia, nos falamos e marcamos de sair."

Daniel atravessou novamente a fronteira à noite e foi encontrar a loira de olhos claros, outrora Miss Simpatia do distrito de Villarrica. Entre Brasil e Paraguai, os pombinhos passaram cinco dias juntos. Na mais memorável das noites, foram a um karaokê, onde cantaram o refrão: "Pro Paraguai ela não quis viajar", da música "Pelados em Santos", dos Mamonas Assassinas.

Foi aí que a "cunhada" não resistiu e passou a paquerar o brasileiro. "A irmã dela começou a me ensinar guarani e a dar em cima. Mas eu não podia ser tão cafajeste assim." Podia?

3 comentários:

    A mim parece que o cara é muito mentiroso, mas nunca se sabe.
    Beijos.

    Ou eh muito mentiroso ou eh um asqueroso nojento. Ecaaaaaaaaaaa

    Beijao.

    On sexta-feira, 02 janeiro, 2009 Anônimo disse...

    Será que o gajo esqueceu de explicar se usava preservativo? Nessas andanças pelo
    galinheiro geral, é caso de se perguntar: "Galo pega AIDS?"
    E que galo feio!