O amor nos tempos do blog
E-mail, SMS, mensagens instantâneas e outras ferramentas criam um novo código afetivo

/
PAIXÃO ONLINE Liliane e Eduardo passam o dia conectados. Fotos e declarações de amor estão nos blogs do casal.
/
/
/
Uma revolução silenciosa se deu na esteira das mudanças que a era eletrônica imprimiu no mundo moderno. Ela transformou os códigos e as ferramentas das relações amorosas. Palavras e gestos de carinho foram substituídos por tecladas ansiosas e distantes, ávidas por uma resposta imediata. Amores começam e terminam pelo computador, traições são descobertas por serviços de mensagem instantânea, encontros são marcados pelo SMS do celular. Há prós e contras nessa nova história, dizem os especialistas. Mas, eles também garantem, ela é irreversível.
/
A relações-públicas Renata Vaz, 26 anos, e o agente de comércio exterior Flávio Azevedo se "conheceram" em partidas de Counter Strike (jogo online de disputa entre terroristas armados). Num encontro de equipes "ao vivo", os dois trocaram e-mails. "Quando ele me via no jogo, me paquerava", conta Renata. Muito bate-papo online e partidas depois, a história acabou em casamento. Com 36,6 milhões de brasileiros conectados à internet, conforme a última pesquisa do Ibope/NetRatings, de agosto, casos como o de Renata e Flávio são cada vez mais comuns.
/
/

"Geralmente, quem desenvolve relacionamentos online valoriza muito mais o conteúdo do que a forma", afirma Luciana Ruffo, do Núcleo em Pesquisa em Psicologia e Informática da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). A produtora cultural Liliane Ferrari, 33 anos, casada com o designer Eduardo Souzacampus, 33 anos, é um exemplo. Ela faz questão de manter na web demonstrações de amor públicas, seja no Flickr (site que permite a criação de álbuns virtuais de fotos e vídeos), seja nos blogs de ambos. Além, claro, de trocar mensagens apaixonadas pelo Messenger. "É o dia todo", confessa.
/
Mesmo com diversas ferramentas que ajudam a conhecer pessoas, como o Orkut, o Facebook (redes de relacionamento) e o Twitter (que permite publicar e ler textos de até 140 caracteres), os casais ainda se formam principalmente por referências do círculo de amigos e família, de acordo com o doutor em psicologia pela Universidade de São Paulo Ailton Amélio da Silva. Foi assim que a atriz Sthefany Brito se aproximou do noivo, o atacante do Milan Alexandre Pato. Eles foram apresentados pelo irmão de Sthefany, o também ator Kayky Brito, trocaram durante meses mensagens online, ela no Rio, ele em Milão, antes de se conhecerem, já completamente apaixonados.
/
/
TIROS E BEIJOS Renata e Flávio podem ter atirado um no outro em jogos virtuais antes de se apaixonarem.
NAMORO DELETADO Roberto já deu fim a mais de um affair por e-mail: nada de olho no olho.
/
/
Em relações que não terminam de forma amigável, a tecnologia pode tornar o fim mais doloroso. Depois de seis anos de namoro, a advogada Juliana Freitas (nome fictício), 31 anos, recebeu um SMS terminando a relação. Como o ex-namorado se recusava a encontrá-la, as pendências se resolveram por telefone e e-mail. "Depois soube por meio da internet que ele participava há três anos de um fórum em que tinha publicado mais de 200 fichas de 'avaliação' de prostitutas", diz Juliana. "Foi um choque após o outro." "As pessoas esquecem que a internet não é o lugar mais seguro do mundo para mostrar o que faz. A rede é um reflexo de quem nós somos e do que temos de bom e de ruim", diz Luciana Ruffo. Mas há casos mais leves, como o do analista de TI Edson Roberto Forão, 25 anos, que já terminou mais de uma vez por e-mail. "Não tenho mais coragem para o olho no olho", afirma. "Acabar por e-mail é uma superficialização dos relacionamentos, mas evito condenar porque pode haver um novo código se estabelecendo", afirma Amélio da Silva. Que ele venha, então, com um manual de boas maneiras.
Link: Isto é.
/
/
Bom eu sou suspeita pra falar. Já vivi relações, poucas é verdade, que deram muito certo e outras que foram verdadeiros tiros na água, mas continuo achando muito válido.
/
Preferir mais o conteúdo do que a forma, eu sempre preferi dentro e fora da Net. Isso pra mim não mudou. Acho que a grande questão é quando nos apaixonamos e a pele não combina. Nem falo em não achar atraente. Se apaixonar virtualmente é tão intenso quando no real, a essência é o que vale. Se a "forma" não corresponde exatamente ao que se pensava, quando estamos apaixonados de verdade, não enxergamos isso. Assim como na vida real. O problema é quando a pele não combina, aí não tem solução.
/
Vivi as duas situações. Por LF foi paixão absoluta, mas não bateu pele, infelizmente. Uma grande frustração. Por AA ao contrário, absolutamente nada combinava, mas a pele, meu Deus...
Enfim, acontece, agora encontrar numa mesma pessoa pele e essência é para poucos...exatamente como na vida real. ;)
/
/

10 comentários:

    Muito bacana o texto. Defendi monografia essa semana sobre o papel dos blogs na literatura contemporânea. Gostei do espaço aqui!
    Abraços!

    Muito bacana o texto. Defendi monografia essa semana sobre o papel dos blogs na literatura contemporânea. Gostei do espaço aqui!
    Abraços!

    Adorei o post! Mas sou a mais suspeita pra falar... Conheci meu marido na net, ele era leitor do meu blog! rs Mas ficamos pouco tempo no virtual, 2 semanas apenas, e fomos logo conferir ao vivo, afinal ninguém aqui tem mais idade pra esperar demais! beijo, querida Angel!

    Puxa Aninha, eu nem sabia que vc tinha voltado a blogar, menina! Que maravilha! Vou te colocar nos meus links, claro!!!

    Agora que sorte vc teve, nossa! Eu blog desde 2001, estou na Internet desde 95 e não encontrei O cara, sabia? Algumas vezes achei que estava perto, mas no fim se revelaram grandes enganos.
    De qq maneira, continuo nessa busca. Não desisto de um dia encontrar O cara e se ele visitar o meu blog melhor ainda, é sinal de que gosta de literatura! Um ótimo começo!!! rsss

    bjos linda e obrigada pela visitinha
    angel

    Espero que vc seja bem sucedido, Rafael! Depois conte pra gente!

    bjos e sucesso!!!
    angel

    teu blog continua muito legal e a lembrança de ana cristina césar foi muito feliz... ela era uma poeta e tanto... bj

    Oi moça! já nem deve lembrar de mim... poizé

    e não é q uma dessas historia virtuais acabou acontecendo comigo! conheci meu atual namorado na net, tinhamos amigos pessoais, nossa amizade virtual durou 2 anos até os poros n aguentarem e nos encontrarmos, estamos juntos a + de um ano e com a certeza de um ser a tampa e o outro a penela

    assim esperamos

    como sempre blog e temas maravilhosos. adoro!

    agora q estou com + tempo voltarei com frequencia...

    bjoooooooos

    O amor inventa seus caminhos, né?
    Legal o post, e bem verdadeiro.
    Beijos.

    Muito bom o post,Andrea.E você tem
    razão;o conteúdo é sempre preferível à forma,mas a combinação das peles é
    essencial.
    Beijos e um ótimo final de semana.
    Amarísio

    Oi - Legal o blog. Não conhecia. Esse lance da transmissão afetiva e relacionamente online é bem da hora, sim. No final das contas, a Internet media o relacionamento... isso pode dar muito certo.