Hoje, se as rosas falassem
renderiam homenagens a ti, Cartola.
/
/
/
₢Gerald Braendle

/
/

O mundo é um moinho
Cartola
/
/
Ainda é cedo amor
Mal começaste a conhecer a vida
Já anuncias a hora de partida
Sem saber mesmo o rumo que iras tomar
/
Preste atenção querida
Embora eu saiba que estás resolvida
Em cada esquina cai um pouco tua vida
Em pouco tempo não serás mais o que és
Ouça-me bem amor
Preste atenção o mundo é um moinho
Vai triturar teus sonhos, tão mesquinho.
Vai reduzir as ilusões à pó
Preste atenção querida
Em cada amor tu herdarás só o cinismo
Quando notares estás à beira do abismo
Abismo que cavastes com teus pés.
/
/
/
/
Ao amanhecer
//
Ao amanhecer , ao anoitecer
Cantam em bando aves fazendo verão
Ouve-se os acordes de um violão
E são eles , verdes periquitos
/

Têm o peito forte tal qual o granito
E são lindas as suas cancões.
Quando a tarde vai morrendo,
/
Ai, meu Deus

O crepúsculo vem descendo
/
Reúne-se o bando na rua
E cheios de harmonia
Entoam uma melodia
Que faz dancar, a própria lua
Cartola
/
/
/
Espero por ti
//
Mesmo sem saber


Se viras um dia
Eu espero por ti
Confiante e só aqui
Eu espero por ti
Pra te dar o amor
Que existe em mim
E encontrar a paz
Por fim
Não sei como foi
Mas aconteceu
Este imenso amor
Só sei que não vivo
Longe dos olhos
Sem sentir teu calor
E enquanto eu viver
Eu hei de viver
A te esperar
Mesmo sem saber
Se vais voltar.
Cartola

/
/
/

Fita os meus olhos
/
Fita os meus olhos

Vê como eles falam
Vê como reparam o seu proceder
Não é preciso dizer deve compreender
Até mesmo notar só no meu olhar
Não abuses por eu te convessar
Que nascestes só para eu te amar
Gosto tanto tanto de você
Que os meus olhos falam o que não vê
Ainda há de chegar o dia

Que eu hei de ter tanta alegria
Quando você souber compreender
Num olhar o que eu quero dizer
Cartola
/
/
/
Senhora Tentação
/

Sinto abalada minha calma,
Embriagada minha alma,
Efeitos da tua sedução,
Oh! Minha romântica senhora Tentação,
Não deixes que eu venha a sucumbir,
Neste vendaval de paixão.
Jamais pensei em minha vida,
Sentir tamanha emoção,
Será que o amor por ironia,
Move esta fantasia vestida de obsessão,
A ti confesso que me apaixonei,
Será uma maldição, não sei,
Sinto abalada minha calma,
Embriagada minha alma,
Efeitos da tua sedução,
Oh! Minha romântica senhora Tentação,
Não deixes que eu venha a sucumbir,
Neste vendaval de paixão.
Jamais...
Cartola
/
/
/

* O samba não é a minha praia, a poesia sim e Cartola era um grande poeta.
/
/

5 comentários:

    VejaBlog
    Seleção dos melhores Blogs/Sites do Brasil!
    http://www.vejablog.com.br

    Parabéns pelo seu Blog!!!

    Você está fazendo parte da maior e melhor
    seleção de Blogs/Sites do País!!!
    - Só Sites e Blogs Premiados -
    Selecionado pela nossa equipe, você está agora entre
    os melhores e mais prestigiados Blogs/Sites do Brasil!

    O seu link encontra-se no item: Blog

    http://www.vejablog.com.br/blog

    - Os links encontram-se rigorosamente
    em ordem alfabética -

    Pegue nosso selo em:
    http://www.vejablog.com.br/selo


    Um forte abraço,
    Dário Dutra

    http://www.vejablog.com.br
    ....................................................................

    Cartola eterno... e eu "preciso me encontrar"...

    canção linda e triste...

    Um poeta!

    Belo blog, apesar de eu acreditar que poema é uma coisa e música é outra. Às vezes fazem um "samba", mas continuam singulares. Pra ser poema não basta (nem precisa) ter rimas e pular linhas. No mais, ótimo blog! Apareça no Cinco Espinhos...

    lindo os poemas do Cartola, voce como sempre muito feliz em suas escolhas...
    beijos joao