Golpe abaixo da cintura ou
Como dar fim a uma amizade
ou seja lá o que era.
Ou ainda "A arte da Guerra" de Sun Tzu.
/
/
/
/

Há tempos atrás li “A arte da Guerra” de Sun Tzu e gostei muito. Tanto que em vários momentos da minha vida lembrei das técnicas desse grande estrategista.
Reza a lenda que Sun Tzu foi um estrategista militar chinês que viveu há 2500 anos atrás e ensinou a arte da guerra. Seus ensinamentos, no entanto, não foram apenas sobre a guerra. Assim como os princípios do O-Sensei sobre o Aikido, os princípios de Sun Tzu sobre a arte da guerra podem ser usados como um instrumento de crescimento pessoal e, muitos destes princípios podem ser adaptados para a prática de Aikido.
/
Segundo os ensinamentos de Sun Tzu há cinco defeitos de personalidade: precipitação, timidez, temperamento esquentado, auto-admiração e preocupação excessiva com as aparências.

/
De acordo com Sun Tzu, cada um destes defeitos pode conduzir a uma derrota. Da forma usada aqui, o termo derrota não se restringe ao significado superficial de vencer ou perder uma competição. Pelo contrário, se estende a qualquer coisa que limite o crescimento pessoal: fisicamente, mentalmente, emocionalmente ou espiritualmente. Vários atos negativos, pensamentos, palavras e atitudes podem impedir nosso crescimento em busca da harmonia externa e interna, nos derrotando através disso.

/
Eu poderia, modestamente acrescentar que esses defeitos citados por Sun Tzu levam a uma atitude ainda mais grave: o golpe abaixo da cintura.
/
Alguns deles são bem óbvios e podemos ampliar o conceito para chegar a uma teoria que aprendi com a vida e a convivência com outros. Certamente que essa teoria explica o fim de amizades, amores, relações próximas porque acaba levando ao golpe baixo ou abaixo da cintura.

/
O temperamento esquentado, por exemplo, está mais ligado com nossas reações às frustrações do que com a raiva propriamente dita. E leva a atitudes precipitadas, palavras mal colocadas e por conseqüência a golpes baixos, naturalmente.
/
a precipitação implica na falta de controle e de foco. Perdido o foco, fica fácil escrever ou falar coisas que certamente vão atingir o outro. A menos que o outro tenha uma auto-estima muito bem consolidada para se deixar atingir.

/
Um bom exemplo de golpe abaixo da cintura é quando se fala o que não se deve. Achou lógico? Até é, mas é um pouquinho mais complicado, na verdade. Imagina, já que estamos num blog hospedado num mundo virtual, que você conheça alguém que um dia foi virtual e no real não é bem o que você imagina.
/
Pois bem, ainda assim você gosta da pessoa, tem carinho e logicamente não vai escrever uma coisa do tipo: o virtual não virou real, não deu choque. É o tipo de coisa que não se diz até porque ficará tácito no decorrer dos dias e o modo como as coisas caminharão que nada resultará dali. E podemos ir além e imaginar: e quando a recíproca for verdadeira. E se a outra parte também não sentiu nada, a atração evaporou-se por completo na mesma hora?

/
Pois bem, diante de uma situação assim a conclusão é fácil: uma das partes golpeou abaixo da cintura porque não pensou no que aquele tipo de comentário poderia causar ao outro e muito menos se era recíproco e como era, pelo menos nesse exemplo, e por isso sequer arranhou a auto-estima do “golpeado” digamos assim.
/
Desnecessário dizer que em uma “luta” esse tipo de golpe é inaceitável e a conseqüência é o corte total porque não há nada nessa pessoa que agregue valor ao outro.

/
Algumas atitudes inúteis como estas cabem bem no que Sun Tzu, escreveu sobre a guerra:
/
”Em uma guerra só os interesses do Estado contam. Um governante não deve declarar guerra por estar encolerizado. Um general não pode ir à guerra por estar ressentido. Pois um homem zangado pode tornar-se feliz. Um homem pesaroso pode ficar satisfeito. Mas um país destruído não pode ser recuperado. Um homem morto não pode reviver”. Sun Tzu.
/
/
“Ou seja, num relacionamento só os interesses do casal importam. Um deles não deve falar quando estiver encolerizado. Não pode ir às falas por estar ressentido. Pois um homem zangado pode tornar-se feliz. Um homem pesaroso pode ficar satisfeito. Mas um relacionamento destruído não pode ser recuperado. Um sentimento morto não pode reviver”.
Eu mesma.
/

Pois bem, é assim que as coisas terminam, que as páginas viram, catracas rodam e filas andam.
Na minha teoria, em hipótese nenhuma cabe o golpe baixo. Nada justifica e por ser assim, certamente quem o aplica morreria pra mim, se fosse o caso.
/
Quando se tem carinho, respeito, amizade e se for um casal, amor pelo outro não há hipótese que justifique um golpe desses.
/
Por isso, tantas "amizades" acabam "inexplicavelmente". Por isso, tantos amores vão morrendo lentamente até o dia que se torna insuportável conviver com o outro. Por isso, é melhor deixar ir, porque se de um lado houve respeito e nada se falou, do outro, não houve sequer carinho, muito menos respeito. E todo mundo sabe que na guerra ou no "amor" respeito ao "adversário" é fundamental.
/
/
*Para que gostou do pouco que falei do livro "A arte da Guerra" é só baixar aqui. Vale a pena quando se lê com um entendimento mais amplo e ver que se aplica a muitas situações e pessoas.

/

7 comentários:

    Gostei muito.
    Beijocas

    Bom Post...
    Gostei das comparações!!!
    Várias vezes pensamos que um livro não vai dar nenhuma perspectiva, mas cada livro tem uma história que pode mudar uma vida!!!
    Jah ouvi falar do livro mas nunca o li...
    Vou aproveitar pra ler....

    Beijoss!!!!

    Esse livro tem sido usado até nas empresas como uma boa maneira de se traçar estratégias. Nas relações interpessoais, se observarmos bem, tem uma boa aplicação, com certeza!

    bjimm procêSS
    angel

    Andrea, que bela citaçao, voce tocou num assunto hiper delicado " o respeito", e este respeito deve ser mantido sempre.
    Pena que muitas pessoas se envolvam tanto em seus mundos que esqueçam dos principios basicos de conduta.
    Um beijo especial para você
    Joao

    On quarta-feira, 08 outubro, 2008 Anônimo disse...

    Bela analogia, Anjo. Eu posso dizer que conheço um caso assim. E o engraçado é que o cara é do tipo gorducho metido a fortão. Patético.
    Como se ele pudesse falar de alguém. Deveria olhar para a própria barriga antes. Dançou bonito, hehehe

    T beijo
    Leo

    Leo, foi só um exemplo que acontece aos montes na Net, a diferença é essa, o golpe abaixo da cintura,sendo que dois não sentiram nada um pelo outro, mas um deles fez questão de dizer, ao invês de preservar, deixar que o carinho, a consideração e o respeito em primeiro lugar.
    Essa analogia entre o livro e uma situação é o que acho que é um golpe abaixo da cintura.
    Bacana, levar em consideração os sentimentos das pessoas. E se a outra pessoa tivesse gostado, tivesse interessada? Já pensou no estrago? Na dor que ela sentiria?
    Por isso acho que depois de um golpe assim, como falar em carinho? Em amizade, se não tem o mínimo? Que é o respeito, o cuidado ao falar, escrever para não acertar onde não se deve.

    É por aí.

    bjo e pára com esses seus exemplos que eu te conheço, viu?

    Andie, obrigado por ter visitado o Imperfeito. Lá tem sempre um Vilarejo, da Marisa, para voce !

    É, Andie, estudei bastante Sun Tzu e outros estrategistas na FGV. O elemento-chave de sua filosofia, a meu ver, pode-se resumir em respeito. Se reparar, os 5 defeitos têm como base a falta de respeito: a si, aos outros, às entidades, instituições, leis, concorrentes, etc.

    Transpondo-o, como voce tão bem fez, para os relacionamentos, o elemento-chave permanece. Se falta respeito por si, pelo parceiro, pela vida dos 2, pelo amor, etc, o fracasso é certo. Se há respeito, pode até haver ruptura, mas não haverá fracasso. beijo