Photobucket

Loucura
Teu nome é Coringa.

/

Assistir a um filmaço na pré-estréia tem dessas coisas, você simplesmente fica impossibilitada de falar, comentar, detalhar o que mais gostou sob pena de ser esquartejada com um simples olhar, rsss Ok, nem pretendo fazer isso aqui porque sei que muita gente ainda não viu o filme. As salas estão entupidas até o teto com todo merecimento, alias. Hoje prefiro falar do meu herói predileto justamente porque não é super. Batman é soturno, angustiado, cheio de dilemas e perdas. Não ter superpoderes humaniza o herói, coloca-o pertinho de nós simples mortais, no entanto dessa vez, o inimigo se colocou a altura do herói.
Nesse filme, o Homem-Morcego coloca sua moral e seus conceitos em xeque. Como enfrentar alguém sem limites e manter sua própria sanidade?
/
Insano, o Coringa inspira medo e o trabalho de Ledger assusta. É algo visceral e cruel. O canto do cisne de um ator que estava caminhando a passos largos para se tornar um dos grandes de sua época. Não sei se a curta carreira será capaz de transformá-lo em um James Dean, mas certamente o tornará inesquecível por causa de seu Coringa.
Como preparação para o Coringa, Heath Ledger viveu sozinho em um hotel por um mês, desenvolvendo o lado psicológico, a postura e a voz do personagem. Ledger iniciou um diário, onde escrevia os pensamentos do Coringa e os sentimentos que o guiavam durante sua performance. Tudo assimilado e lá estava o Coringa, assustador tomando a telona por inteiro.
/
Michael Caine, veterano ator de 75 anos, que interpreta o mordomo Alfred Pennyworth no filme, comentou sobre a intensidade e ferocidade do desempenho de Heath, acrescentando ser o melhor vilão que ele já teria visto. Impressionado com o colega, Caine, em entrevista falou de como eram as conversas no set, tudo muito tranquilo e amigável, no entanto bastava que fosse chamado à cena para que a transformação ocorresse: Ledger era o Coringa.
Aos 28 anos, Heath Ledger saiu de cena em grande estilo, deixando inscrito na memória a imagem de um grande vilão.

4 comentários:

    Nossa! Já estou doida para ver este filme.Só falam bem dele. Além do mais dá para matar a saudade do saudoso Heath Ledger. Bjos e um ótimo fim de semana!

    Vi o filme do Coringa na quarta, Anja. Melhor filme do ano! E olha que eu sou chaaaaaaato com essa coisa de filme... eh eh eh!

    Beijo pra ti!

    Quero arranjar um tempo na minha vida pra ver este filme. só leio resenhas e todo mundo só fala bem.

    Fim de semana vou ver se dá.
    Abraços sinceros...

    O filme é poderoso, mesmo. Mais do q as interpretações soberbas, oq mais me impressionou foi o lado, digamos assim, sociológico do filme, q é, mais do q entretenimento, um tratado nem um pouco sutil sobre a violência urbana.
    E o Coringa parece aquele diabinho que fica atazanando o Pluto, para desespero do anjinho pendurado no ombro oposto.Ele está sempre propondo dilemas morais àqueles que o combatem.
    Ao final, o sacrifício da verdade em nome da manutenção de um ideal é um final amargo para um filme amargo sobre uma realidade amarga, erigida sobre mentiras bem contadas, por ser incapaz de encarar a verdade sem sucumbir ao desespero.
    O filme não é perfeito - longe disso. Mas ao menos tem algo interessante a dizer.