/
É dia de Tim Maia.
Por que? Porque ele faleceu num dia 15 de março, porque o especial "Por toda minha vida" sobre Tim Maia foi o melhor de todos, porque o livro do Nelson Motta é tudo de bom e por causa de coisas assim:
/
...
Ao ser perguntado por que escolhera o pequeno PSB, politizou o célebre aforismo brasileiro:
"- O Brasil é o único país onde, além de puta gozar, cafetão ter ciúme e traficante ser viciado, pobre é de direita”.

/

O talento musical de Tim Maia aflorou muito cedo. Aos 8 anos já cantava; aos 12, estudava violão; e com 14 anos de idade, formou seu primeiro conjunto musical. Quando tinha cerca de 20 anos, ele foi para os Estados Unidos, onde tomou contato com o suingue da música negra americana, que influenciou seu trabalho até o fim. Depois de uma passagem pela Jovem Guarda no fim dos anos 1960, Tim compõe o sucesso “Azul da Cor do Mar” e grava “Primavera” e, em 1970, torna-se um ídolo, adorado pela crítica e pelo público. Homem polêmico, generoso e muito divertido, dotado de uma genialidade musical inquestionável, Tim Maia conheceu de perto o sucesso e o fracasso, o amor e a desilusão, a riqueza e a pobreza.
/
Dois meses antes de morrer, Tim conseguiu visto para fazer um show em Miami, depois de décadas proibido de entrar em território americano. De lá, alugou uma limusine, com um chofer português, e foi com sua última companheira Adriana, até Terryton, uma pequena cidade perto de New Jersey, onde morou.
Parecia pressentir a própria morte e fez questão de voltar lá. Visitou os lugares em que trabalhou, passou em frente à cadeia em que ficou preso, fez todo um caminho sentimental. Mesmo fortemente influenciado pela música negra americana, Tim, segundo Motta, jamais deixou de ser um músico brasileiríssimo. Gostava de samba, de marchinhas, de serestas. Preferia João Gilberto a James Brown. "Tenho em mãos um vídeo caseiro em que Tim Maia diz uma frase incrível sobre Tom Jobim: "Com os acordes que tem numa música do Tom eu faço umas 80!".
/
Em março de 1998, no meio de um show em Niterói, Tim Maia começou a cambalear no palco e sua voz travou. O público, julgando-o bêbado e drogado, começou a vaiar. Tim não havia fumado maconha nem bebido. Fora acometido por uma crise de hipertensão, embolia pulmonar e parada cardiorrespiratória. Foi internado numa UTI, onde morreria uma semana depois. Até os 50 anos, orgulhava-se de nunca em sua vida adulta ter consultado um médico. Como tantos artistas que levam a transgressão ao limite, Sebastião Rodrigues Maia não deixa exemplo de vida para ninguém, mas sua obra continua a ser admirada e a influenciar as novas gerações.
/
/
Receita anti- larica de tim Maia
/


/
/
A vida em frases, segundo Tim, claro:
/
/
"Passou de branco, preto é. Não existe este negócio de mulato. Mulato pra mim é cor de mula"
/
/
"Dos artistas do Rio, metade é preto que acha que é intelectual e metade é intelectual que acha que é preto"
/
/
"Agradeço à minha mãe, Maria Imaculada, meus sobrinhos, os padres capuchinhos e os trombadinhas da Praça da Bandeira. Apesar de ter feito um comercial para a Mitsubishi, a Sharp mora no meu coração. Boa noite."
Ao receber o prêmio Sharp de 1991.
/
/
"Isso é desumano. Nem fundo musical no Xou da Xuxa eu posso cantar. Assim as crianças crescem sem saber quem é o Tim Maia."
Comentando sobre a decisão da Rede Globo de banir Tim de todos os programas da emissora, depois que ele faltou ao Domingão do Faustão.
/
/
"O problema do gordo é que se ele beija não penetra e, quando penetra, não beija".
/
/
Leia mais.

4 comentários:

    Olá, anja!

    Ah... ele não é exatamente frequentador da minha lista de preferências, mas reconheço a talento.

    Numa visita anterior, vi que ontem fora o dia nacional da poesia. Tive que escrever sobre isso, porque ontem passei por um lugar onde havia um sarau. Eu não havia ido por isso, mas para vê-los, os amigos. Aliás, ninguém sabia. Estava desprovido e sem improviso... eh eh eh! Mas acho que hoje me redimi a respeito de ontem, tomara!

    Beijo pra ti! :-)

    On domingo, 16 março, 2008 Laura disse...

    Andrea, fiquei super feliz com sua visita, vc nunca aparece- eu coloco post novo todos os dias, sou viciada:)
    Angel, eu estive aqui a primeira vez, lembro tão bem, fiquei tão comovida, vc havia perdido sua mãe, mas vamos mudar de assunto, seu blog está mais atualizado, tb me surpreendi- e estão excelentes os posts, li vários.
    Acabo de ver 'Piaf', que maravilha de interpretação" a moça- Marion- merece todos os prêmios- tinha que ganhar o Oscar mesmo.
    ai, foi um dos filmes que mais me tocou, amanhã quero ver se falo disto- chorei menos do que imaginava, mas saí super mexida.
    Bjs Laura
    apareça mais, vc é uma das pessoas que conheci aqui no virtual e que eu gostaria de conhecer- qdo voltar ao Rio te aviso, qdo vier à Natal me avise.

    Eu gosto mto do Tim Maia, não ouço quase nada, mas tudo que ouço dele gosto. E gostava da figura, da irreverência, pena que exagerou- aliás Piaf tb... tsc uma pena.
    As frases são demais:)

    Tim Maia sempre foi polemico...mas nunca tivemos um cantor com seu timbre de voz...ele foi unico
    joao