/
Ok, é uma tremenda bandera, mas o Antonio é uma pintura, rss. Trocadilho medonho pra apresentar os olhos de mormaço mais famosos do cinema atual: Antonio Banderas.
/
Olhos de mormaço nasceu em Malaga, no sul da vizinha Espanha, a 10 de Agosto de 1960 com o nome de José Antonio Domínguez Bandera. Filho de pais humildes sonhava em ser jogador de futebol, mas para sorte do cinema, ele quebrou o pé e tratou de mudar o rumo.
Aos vinte anos Antonio foi para Madrid onde entrou no mundo do teatro espanhol e, ao mesmo tempo, começou a surgir em series e novelas televisivas. Acabou sendo notado, claro. Foi então que conheceu conheceu Pedro Almodovar, um jovem realizador excêntrico que iria mudar o cinema espanhol, e a vida do belo Antonio.

/

/
/

Particularmente, acho que o período Almodóvar foi o melhor na carreira dele. Na verdade, ele nunca foi um grande ator, daquele tipo que faz a diferença como um Brando, but nas mãos de Almodóvar até que o moço mandava muito bem. Convencer Banderas a fazer "A Lei do Desejo" não é pra qualquer um e ter Banderas fazendo sexo gay menos ainda.
Com Almodóvar fez entre outros "Ata-me!", filme que é um tesão literalmente e um dos meus prediletos. Em "Ata-me!" Banderas interpreta um fã loucamente apaixonado por uma atriz pornô, interpretada por Victoria Abril, e acaba raptando-, e a mantém amarrada com uma corda até ela finalmente corresponder à sua paixão. E como ela corresponde, rs.
/

Com o destaque no cinema espanhol, Hollywood acabou vendo ali um galã bem diferente dos loiros aguados que povoam os filmes americanos. Foi chamado então para "Os Reis do Mambo", na época ele não sabia falar praticamente nada em inglês e teve que decorar as falas pelo sons encarando oito horas diárias de aulas para poder entender o que estava falando. Um ano depois viria "Filadélfia" filme que ganhou dois prêmios no Oscar.
/
/
O primeiro protagonista viria com o filme "A Balada do Pistoleiro" em 1995, ano em que atuou em "Quero Dizer que Te amo" ao lado de Melanie Griffith com quem se casaria no ano seguinte.
Com o papel de Che Guevara, ao lado de Madonna no musical "Evita" dirigido por Andrew Lloyd, Banderas recebeu indicação para o Globo de Ouro de Melhor Ator por sua atuação. Nada mal pra quem chegou sem sequer saber falar inglês.
Muitos filmes depois, estreou como diretor e produtor no filme "Loucos do Alabama", projeto que lhe rendeu ótimas críticas. E tratou de seguir a carreira em Hollywood se tornando o ator latino mais bem pago das terras gringas.
Sim, continua casado com a atriz Melanie Griffith, e tem uma filha chamada Stella del Carmen Banderas Griffith.

/


"O conheci neste filme ("Ata-me!"). Quando nos despedimos, perguntei para onde ele ia. Ele respondeu: 'Não voltarei para casa. Tentarei a sorte por aqui'. Tempos depois, nos encontramos e ele, já famoso, me agradeceu por tudo."

Pedro Almodóvar

Ainda bem que ele não voltou...

5 comentários:

    On domingo, 24 fevereiro, 2008 Anônimo disse...

    Ficou show o novo layout, meu Anjo, apesar desse jagunço do post de sábado, rrrrr Eu aturo, rsrs

    T beijo
    Leo

    Angelzita, depois de um longo e tenebroso período, estou de volta às leituras do Literatus! :-)

    Adorei o novo layout, a nova figura ficou linda demais. E olha só: agora dá pra ler no Firefox... antes, quando não era possível, estava realmente um sufoco visitá-la, tendo que usar o IE, ou Incompetência Exagerada (para os íntimos - que se resume a apenas um: soy yo ese chico! Mas não incompetência do usuário, juro, é do navegador mesmo... eh eh eh!).

    Só esse post sobre o Banderas, ah... bom, não cai no meu gosto. Mas ia ser estranho se fosse diferente... eh eh eh!

    Estava realmente com saudade de vir aqui. E foi ótimo voltar logo após um pequeno período - desde quarta - em que sofri com a abstinência de internet... mas passou!

    Antes que eu seja confundido com um vampiro, retiro-me, senão chegam as seis da manhã e podem pensar que durmo num caixão! É intriga da oposição, acredite!

    Beijãooooooo! T'adoro! :-)

    Penei com esse layout, Alê, mas valeu a pena, gostei do resultado, sabe?

    E qto ao belo Antonio, rsss, só os amigos homens não gostaram. Porque será? rsss

    bjimm querido

    angel

    Pois é...Porque será???? kkkkk

    Olha devo confessar que o nome Antonio, hoje por motivos que até a razão desconhece ~´e que não me cai muito bem (estou com bode de um em particular -rsrsrs). Mas a este aqui, eu me deixava atar e até pedia... Acho-o um encanto de homem. Uma vez fiz um teste de vídeo para um comercial de TV (isto é sério) e perguntei sobre o roteiro para a moça do Casting... era um filme de perfume: uma mãe que fazia restrições que a filha saísse com namorados mais velhos, atendia a porta e o tal "namorado" da filha era ELE!!!! (fiz o teste pro papel da mãe) Ele com flores nas mãos dizia à mãe pra não se preocupar e em vez de dar as flores à filha, dava a ela... Imagina só? Minha primeira pergunta nesses testes era sempre: "quanto é o cachê?". Neste eu dei o máximo de mim! E não perguntei nada e ainda pensei: UFF até de graça eu faria! == mas infelizmente, não fui a chamada :o(

    Ah... o Oscar? Sabe, Angel, não me atraiu tanto a atenção este ano, então nem cheguei a ver os principais filmes... pelo menos ainda não.

    Tenho o dos Coen, com o Bardem e o velho Lee Jones, mas é só. Ganhou alguns dos principais prêmios e parece que foi justo. Assim como justa foi a vitória da Cotillard/Piaf. Pena que não dá pra dividir o prêmio, porque a Julie Christie também esteve fantástica em Longe Dela, filme que me tocou muito no ano passado.

    Aos poucos vou conseguindo os filmes. Meus amigos não me abandonam e logo logo terei o Senhores da Guerra, do Cronemberg, e o musical do Tim Burton, que esqueci o nome, com o Johnny Depp (novidade!), pra conferir.

    Mas, indo da água pro vinho, essa história da Cora é bem engraçada. :-)

    Beijão, querida! Tééé!