Rolling Stones
ou
A primeira vez a gente nunca esquece…




Ontem foi a estréia do meu sobrinho em um grande show de rock com uma banda jurássica: os Rolling Stones.Como bom roqueiro iniciante, ele ainda está formando opinião e apesar de escorregões como gostar de um Linkin Park da vida, o menino leva jeito e a tia vai conduzindo apresentando a ele a fonte onde todos esses grupelhos de hoje já beberam. Uma das inquestionáveis fontes são os Rolling Stones, claro.

O bacana de se ter alguém começando em qualquer coisa, é o olhar da primeira vez, aquele mesmo olhar que um dia você já teve. Então se o palco é “sinistro”, você já sabe, assim como também já sabe que num show desse porte há muita luz, muito efeito da boa tecnologia e isso inclui palcos que andam, explosões, shows de pirotecnia diversos. Isso você já sabe e espera, mas ele não e aí esta o grande barato.

Não assisti ao show com ele, assisti com outra pessoa, mas tive a prévia do antes, da vontade dele ir, do destemor que a idade dá em contraponto com o medo dos pais, medo da violência etc, etc, etc. E sabia que assim como eu na minha primeira vez, mobilizei toda a família daqui e até de BH na tentativa de fazer minha mãe mudar de idéia e me deixar ir a um show, ele também o faria e fez.
Depois de alguns anos e muitos shows, você sabe que não muda muita coisa de um show para outro até porque as minhas preferências musicais ou estão mortas ou se separaram em sua grande maioria, e aí você chega à seguinte conclusão: o que vale nessa estrada nem sempre é o show em si, mas sempre a companhia, os amigos, o namorado, os desconhecidos simpáticos que se tornam “amigos de infância” pela duração de um show e nesse caso um sobrinho descobrindo o bom e velho rock and roll ;)
/
/
/
andrea augusto©angeblue83

0 comentários: