/

Mais uma vez estou apelando para os amigos em prol do JP. Se não puder doar, pelo menos repasse aos amigos de SP. Estamos na reta final e mais do que nunca ele precisará de sangue, por isso, amigos.

Deixo ainda o link para a matéria exibida no Jornal Nacional sobre o JP e a mãe dele a Sheila. Para que os conheça melhor.

Amigos, hj são eles, amanhã pode ser um de nós, por isso não deixe que qq motivo o impeça de doar que não seja os motivos de praxe, ok?

Já estamos nessa luta há meses e precisamos cada vez mais de gente para ajudar, para divulgar, para doar!!! O JP tem comunidade lá no Orkut, onde sua mãe, a Sheila, passa notícias sempre. Vcs verão que é a história de um menino que luta corajosamente para sobreviver, que jjá viu coleguinhas de quartos ao lado, morrerem. É muito duro para uma criança tão pequena,. né?

VAMOS LÁ, O JP PRECISA DE TODOS NÓS!!!!!

/

Um grande beijo e obrigada a todos!!!

/

/

#################################

/

/


Doe Sangue, Doe Vida

João Pedro Rios Benjamim
Registro no IOP 12533


O João Pedro agora corre contra o relógio para o transplante de medula e este processo se dará n IOP- GRAAC – que é mantida pela UNIFESP e Hospital São Paulo, portanto agora necessitamos de doação em outro local, o Hemocentro do Hospital São Paulo:

Serviço: Para doar sangue no HSP basta comparecer ao posto de doação portando um documento de identificação com fotografia. O posto fica na rua Botucatu, nº 620, e funciona de segunda a sábado das 8 às 17 horas – telefones: 5539-7289.


Não esqueça, que este dia he é fornecido atestado para o trabalho, não porque vc fica fraco e sim por estar exercendo sua cidadania...
Agradeço muito o que todos tem feito por nós e toda esta corrente mágica de energia que esta sempre resultando positivamente.


Beijos
Sheila Rios



JP NO




Alguém lá em cima gosta de boa música...


/
/
Pois é, depois de Sivuca, foi a vez de Braguinha e ontem James Brown, o "pai do soul".
Não cabe agora colocar biografias de nenhum deles, mas deixar para cada um, uma homenagem.
Fiquem com o vídeo do fantástico JB, no melhor de sua forma.

Fiquem com um João e Maria, cuja a música Sivuca fez e que posso dizer, acho das mais bonitas da MPB:




E fiquem com a minha música predileta de Braguinha: "Carinhoso", claro! ;)



Sei lá, mas acho que o Reveillon no céu vai ser qualquer coisa de maravilhoso, sabia?





FELIZ NATAL!!
/

/


Foi por cartão, vai por aqui também.
Que o seu Natal seja perfeito, dentro da sua perfeição
e não no que diz o comercial da TV.
Que você tenha ao lado quem realmente importe para você e com você,
nem que seja apenas você mesmo, afinal tudo começa por você, certo?
Que os presentes sejam dados e principalmente recebidos com generosa condescendência ou seja, aquela meia que a sua tia sempre dá e você tem a ligeira impressão de que ela comprou o estoque de alguma loja que fechou, aceite de bom grado ou aqueles presentes com cara de repassados. Afinal quem nunca repassou presentes que atire"aquela meia"... aquela da tia, rsss

/

/

/
/
Enfim, que o Natal de vocês não seja um estereótipo de comercial de shopping e sim o Natal que você tem na sua mais remota lembrança de criança, quando o Natal, era o só o Natal que seus pais podiam dar e era bom. Somente adultos descobrimos que era sempre bom...

Bjimm queridos
Andrea (angelblue83)
/



* Imagens enviadas pelo meu querido Charles!

/

PAPAI NOEL EXISTE, BASTA QUE OS SONHOS SE REALIZEM...
/
/

Tudo começou com essa mensagem do meu querido amigo Xan:

Querem fazer algo diferente este ano, no Natal? Que tal ir à agência dos Correios e pegar uma das 17 milhões decartinhas de crianças pobres e ser o papai, mamãe Noel ou mesmo irmão ou irmã Noel delas?

Fui informado de que tem cada pedido inacreditável. Tem criança pedindo um panetone, uma blusa de frio para a avó ou material escolar.
Deixo a idéia lançada. É só pegar a carta e entregar o presente em uma agência do correio até dia 20 de Dezembro. O próprio correio se encarrega de fazer a entrega.
/
/
DIVULGUEM PARA CONHECIDOS

/


Lembrem-se

A vida da gente passa por 3 fases:

- a primeira quando acreditamos no Papai Noel,
- a segunda quando não acreditamos e
- a terceira quando somos...

Bjs du xan
/
/
Depois a Mô, do excelente blog Webcat entre outras várias pessoas, aderiu a idéia e foi ao site dos correios ver isso direitinho e me repassou o link onde estão os detalhes. É só clicar AQUI.

Daí resolvi fazer esse post e convocar todos vocês para que realizem sonhos. Sempre falo que custa tão pouco fazer alguém feliz, tanto de modo geral quanto nesse caso. A gente é que complica tudo, a vida, os relacionamentos, o querer ajudar e nunca saber como.
Então que tal, realizar um pequeno sonho. Vocês leram, às vezes, são pedidos de um simples panetone. Por que não?
/
O link dos correios está aí, telefone para maiores informações aqui no Rio de Janeiro é:
(21) 2503-8110 / 8820 / 8872 e no site tem outras capitais.
Então? Vamos fazer acontecer, vamos repassar essa mensagem aos amigos, aos contatos do Orkut, para os amigos blogueiros e quem mais puder.Conto com vocês para começarmos por esse Natal a fazer a diferença. ;)
LAY OUT!



O código de Hamurabi expõe as leis e punições caso estas não sejam respeitadas. A ênfase é dada ao roubo, agricultura, criação de gado, danos à propriedade, assim como assassinato, morte e injúria. A punição ou pena é diferente para cada classe social. As leis não toleram desculpas ou explicações para erros ou falhas: o código era exposto livremente à vista de todos, de modo que ninguém pudesse alegar ignorância da lei como desculpa. No entanto, poucas pessoas sabiam ler naquela época (com exceção dos escribas).

Os artigos do Código de Hamurabi fixam, assim, as diferentes regras da vida quotidiana, entre outras:

* a hierarquia da sociedade divide-se em três grupos: os homens livres, os subalternos e os escravos;
* os preços: os honorários dos médicos variam de acordo com a classe social do enfermo;
* os salários variam segundo a natureza dos trabalhos realizados;
* a responsabilidade profissional: um arquiteto que construir uma casa que se desmorone, causando a morte de seus ocupantes, é condenado à morte;
* o funcionamento judiciário: a justiça é estabelecida pelos tribunais, as decisões devem ser escritas, e é possível apelar ao rei;
* as penas: a escala das penas é descrita segundo os delitos e crimes cometidos. A lei do talião é a base desta escala.
/
/
Lei do Talião:

A Lei do talião (do latim Lex Talionis: lex: lei e talis: tal, parelho) consiste na justa reciprocidade do crime e da pena. Esta lei é freqüentemente simbolizada pela expressão olho por olho, dente por dente. É uma das mais antigas leis existentes.

Os primeiros indícios da lei do talião foram encontrados no Código de Hamurabi, em 1730 a.C., no reino da Babilônia. Essa lei permite evitar que as pessoas façam justiça elas mesmas, introduzindo, assim, um início de ordem na sociedade com relação ao tratamento de crimes e delitos.

Escreve-se com inicial minúscula, pois não se trata, como muitos pensam, de nome próprio. Encerra a idéia de correspondência de correlação e semelhança entre o mal causado a alguém e o castigo imposto a quem o causou: para tal crime, tal e qual pena. Está no Direito hebraico (Êxodo, cap. 21, vers. 23/5): o criminoso é punido taliter, ou seja, talmente, de maneira igual ao dano causado a outrem.
/
/
Pra quê essa explanação toda? Simples: raiva, constrangimento pela raça humana, repúdio e sobretudo uma vontade imensa de que o Código Hamurabi fosse vigente aqui.
Qual a motivação desses monstros que amarraram e colocaram fogo em uma família inteira? Qual? Qual a explicação para esse crime hediondo?? Alguém tem noção do que é se ver amarrado junto com sua família, a gasolina sendo jogada e o fogo lambendo a lataria e consumindo seus corpos?? Eu nem consigo imaginar!
Como alguém, um ser, dito humano, consegue tamanha frieza??? E ainda é capaz de colocar uma criança junto. Sinceramente, eu não sei.
Às vezes, para não dizer quase sempre, perco a fé no ser-humano ou no que de supostamente humano a nossa raça tem.
/
/
O rabo da Fátima,
"O éu de Suel"
e outras discussões relevantes...
/


Alguns sabem, outros não e outros ainda sabem e não lembraram. Vá lá, que é assim mesmo, sem neuras, aqui no Rio a prioridade é tentar evitar que uma bala perdida nos ache. De qualquer maneira, agradeço os scraps, os emails, os comentários por aqui e até as visitas. Com tanto carinho, dava até para operar mais vezes ;)
O fato é que precisei fazer uma operação e dei uma boa sumida, mas enquanto isso na sala de justiça...
/
Discutia-se o rabo da Fátima. Verdade! Bastou a Fátima Bernardes aparecer de rabo preso, sem trocadilhos, plis, que virou papo internacional aqui no Brasil. Tanto é assim, que almoçava numa dessas tardes ensolaradas com namorido e ouvi na mesa ao lado onde só tinha homens debatendo sobre o rabo dela. Coisas como: “Ela entra lá em casa desde sempre de cabelo solto e agora vem sempre de cabelo preso????” “ Particularmente não gosto, mulher tem que usar cabelo solto e de preferência comprido” “Pra mim tanto faz com ou sem rabo, nem olho a TV quando estou em casa”
Não sei se homens comentando um rabo sem que não seja o da preferência nacional, é uma evolução ou não. Mas achei engraçado.
Até outro dia nem desconfiava porque a Fátima mantinha o rabo preso (acho que estou pegando gosto por esse trocadilho rsss) e acabei descobrindo, pasmem, na Veja. Pois é, segundo consta, seu cabeleireiro – dela – estava viajando para NY e ela não entrega as melenas assim para qualquer um. Deu na Veja, pois é...
/
/


/

Enquanto isso, o Kramer, digo o ator Michael Richards, teve um surto racista. Li e vi no blog da maravilhosa depois fui atrás do vídeo e da notícia completa:
/
LOS ANGELES - O ator americano Michael Richards, famoso por seu papel na popular série "Seinfeld", apresentou desculpas após ter dirigido uma série de insultos racistas a um espectador num clube music-hall californiano, provocando a cólera do público, que abandonou a sala, segundo um vídeo do incidente divulgado nesta segunda-feira (20).

"Estou mortificado com o que aconteceu e apresento minhas desculpas ao público, aos negros, aos latinos e aos brancos, a todos os que estavam lá e presenciaram minha cólera, meu ódio", acrescentou.

Richards, de 57 anos e conhecido por seu papel como o extravagante vizinho Cosmo Kramer na famosa série, usou adjetivos racistas ao ser interrompido por dois membros negros da platéia, no clube Laugh Factory, oeste de Hollywood.Uma filmagem caseira do incidente, divulgada pelo site sobre as estrelas Tmz.com, mostra Richards reagindo furioso depois que os homens gritaram que ele não era engraçado.

"Fala, Fala agora seu valente filho da puta. Que o deixem falar. É um negro! É um negro! Olhem, há um negro!", gritou o comediante depois de uma série de epítetos, utilizando o termo "nigger", muito insultante nos Estados Unidos. O vídeo mostra depois o público abandonando a sala.

O porta-voz do ator não quis fazer comentários no momento, mas o comediante Jerry Seinfeld, estrela da série, lamentou as expressões do ator. "Isto me deixa doente", disse Seinfeld. "Tenho certeza de que Michael também está doente com este terrível erro. É tão ofensivo. Sinto-me muito mal por todas as pessoas que foram agredidas", disse ao programa de televisão "Extra".

/



/


Decepcionou, claro, por isso prefiro pensar só no Kramer, o cara bacana, descolado, pra quem tudo era normal.




/

/

Enquanto isso, passamos por um cinema e no letreiro dizia:

Hoje: "O eu de Suel." Deveria ser : "O céu de Suely".

Fico pensando se ao invés do "c", fosse o "e" que tivesse caído...

/


Pano rápido...

/

/

# Ah! Ele voltou!
# E Ele está aqui:

Info etc - Jornal O Globo - 04/12/06

Para quem curte a coluna Imagem do caderninho, vai aqui uma dica: Estréia hoje a exposição "Outra Copacabana" do fotógrafo André Arruda no Copa Café (Avenida Atlântica 3056, loja B) Copa. A abertura da exposição vai das 19h até as 22h. A exposição prosseguirá até o fim de fevereiro.
http://oglobo.globo.com/rio/fotogaleria/2006/982/default.asp



Que saudade do Brizola...
/



Calma, eu não bati com a cabeça em nenhum lugar, rsss. Óbvio que eu estou falando do debate de ontem. Nem vou comentar a atuação, a falta de propostas de ambos, nada disso e muito menos a sessão "em algum lugar do passado" que ambos fizeram.

Deu vontade de falar sobre as eleições desse ano. Não me lembro de ter visto nada mais "picole de chuchu" na vida! Desculpem, esse "apelido" foi dado ao Alckmin, mas serve muito bem para o que se viu de um modo geral. Tudo muito asséptico, limpo, correto, dentro do tempo estipulado e por isso lembrei do Brizola.
Com Brizola a coisa era digamos, mais embaixo, quantas vezes o mediador ficava aos berros tentando interrompê-lo e ele prosseguia como se nada estivesse acontecendo. Não era só engraçado, era mais do que isso, era a "boa" e velha política em pleno jogo. Ele, assim como outros, era uma verdadeira águia na arte de debater, sem mencionar o dom da oratória, coisa que falta a ambos candidatos atuais... Em tempo, eu nunca votei no Brizola, mas gostava e gosto de ver o jogo da manipulação, da inteligência ao vivo, servindo a seus - dele - propósitos.
Bons tempos, incrível dizer isso, mas digo porque me parece que o mal caratismo era mais explícito, estava na cara, digamos assim. Acho até que era mais fácil de escolher. Hoje a escolha se baseia no menos pior e não naquele em que acreditamos realmente.

Ontem foi o de sempre, manipulação de números, esquecimentos convenientes, como o de Lula ao afirmar ter aumentado em 50% os gastos do Ministério da Saúde, mas se "esqueceu" de corrigir o valor pela inflação - em termos reais, o aumento foi só 5% maior, e só existiu porque o governo é obrigado por lei a elevar o gasto com saúde junto com o crescimento do PIB.

Interessante mesmo, foi a atitude na arena, várias vezes os candidatos estiveram tão perto que parecia que a qualquer momento ia baixar um Chuck Norris de frente e um deles ia dar uma cabeçada na cara do outro. Pena que não baixou, seria diversão garantida para toda família.

Big Brother


Dia 19 passado, perto das 20:00 horas, o cel toca. Do outro lado, ele fala: Quando chegar em casa, me liga? Quero te contar uma coisa que aconteceu hoje.
Ok, fiquei pensando, nos últimos tempos quando ele liga tem sempre uma notícia não muito boa para dar. Nem é culpa dele, coitado, apenas tem sido assim. Conheço ou melhor, até um ano atrás, era alguém com quem convivi mais de 30 anos e não conhecia direito. Somente ano passado, passei a realmente conhecê-lo e por conseqüência a admirá-lo.
Bom, cheguei fui fazer o que tinha de ser feito e liguei para saber o que ele tinha para contar.

Ele começou:


”Hoje fui trabalhar e no meio do caminho, naquele chuvão, estacionei para resolver umas coisas e ela se aproximou. Era uma cachorrinha muito machucada, toda ferida, cheia de sarna e bicheira. Olhei para ela e já fui falando: Oi, filha! Te machucaram muito, não foi? Ela ficou me olhando com os olhos mais tristes que já vi na vida. Fiquei ali mais um pouco e segui caminho. Quando voltei, ela estava ao lado da porta do carro debaixo da chuva, me esperando...”


Nesse momento interrompi e disse: Você não trouxe pra casa? Trouxe?? Você já tem nove cachorros e uma despesas gigantesca!!!!

Ele continuou...

“Nem foi preciso trazê-la, Andréa. Eu abri a porta do carro e ela pulou para o banco do carona e ficou me olhando. Era tão triste o estado dela que comecei a chorar, sabia?”
/
Nesse momento, quem ficou com os olhos cheios d´água fui eu. Esse era o meu irmão, pensei enquanto ele falava. Sempre foi assim, desde de pequeno, ele trazia animais para casa. Cuidava sempre, sofria a cada perda, mas não desistia nunca e assim foi com a Malhada. Não seria ele, se a deixasse lá, além do mais, bicho meio que escolhe a gente também. Uma cadelinha de rua tão machucada deveria ter medo de tudo e de todos e não pular para dentro do carro confiando num estranho, a menos que esse estranho fosse o meu irmão e esse jeito carinhoso com os desvalidos, de animais a pessoas.






Infelizmente, a Malhada não resistiu. Foram apenas alguns dias de tratamento, até uma casinha ele mandou construir para ela acreditava que ela fosse sobreviver, mas ela estava muito ferida, muito machucada e apesar da luta dele, do meu sobrinho, do veterinário e da minha cunhada, não deu. Imagino o quanto ele chorou quando isso aconteceu. Já vi outras vezes e sei o quanto ele sofre.
Esse post era para ser sobre o meu irmão, mas era impossível que a história dele não se misturasse com a de algum bicho, sempre foi assim, né? Alias, o nome dele é Francisco...









LULA NÃO!
/
/
Valeu a pena ter ficado acordada até tarde para dormir com uma boa notícia: O segundo turno está aí! Ok, ok, concordo que o Literatus nunca foi usado para campanhas eleitorais, mas eu posso escrever, tenho esse direito porque eu o coloquei lá. Nunca neguei ter votado no Lula porque acreditava genuinamente que com ele as coisas seriam diferentes. Quebrei a cara como tantos por aí. No entanto, saber que o povo brasileiro não é tão idiota como Vossa Excelência fazia crer, me deixa extremamente feliz!
Já basta ver Fernando Collor voltar a cena política e o Sarney ter conseguido se eleger no apagar das luzes.
/
/

Refrescando a memória...

/


Não custa lembrar que durante o governo do nosso Excelentíssimo Presidente Lula tivemos a menor taxa de crescimento (2,3%) da América do Sul e a segunda menor da América, só ganha do Haiti.
A Taxa de crescimento do PIB menor que todos os países emergentes e metade da média mundial.
Taxa de crescimento 47% menor que nos primeiros anos do governo FHC e igual a média dos oito anos do governo FHC (levando-se em comparação que FHC enfrentou 5 graves crises internacionais - México, Ásia, Rússia, 11 de setembro e argentina).
O Lucro dos bancos em 3 anos do governo Lula (44,12 bilhões - Uma festa!!!!) é maior do que todo o lucro dos bancos em 8 anos do governo FHC (35,9 bilhões)!
A dívida interna superou o valor de 1 trilhão de reais;
A maior taxa de juros real do planeta, por isto a festa dos bancos;
A carga tributária cresceu em mais 3 pontos percentuais do PIB, sufocando as empresas;
A explosão dos gastos públicos - comparação entre os últimos três anos do governo FHC com os primeiros três anos de Lula em valores corrigidos pelo IPCA, a soma de gastos de Lula dispara;
A safra agrícola em toneladas de grãos reduziu-se entre 2004 e 2005;
Os gastos nababescos do Palácio do Planalto dispararam, dobrando em relação ao período FHC. A febre aftosa voltou com força total ao Brasil;
A taxa de câmbio está mais valorizada do que na época do Gustavo Franco, gerando milhões de dólares de importações de produtos chineses de péssima qualidade e perda BILHÕES para o setor agropecuário;
O lucro das empresas estatais, tão comemorado, está indo para financiar o superávit primário;
O investimento em estradas caiu ao nível mínimo levando a chamada Operação Tapa-Buracos, o maior programa eleitoreiro sem vergonha de contratação de empresas sem licitação desde o Collor;
A renda per capita cresceu meros 0,8% em 2005;
Os empregos criados estão longe do que foi prometido na campanha de 2002;
Os gastos em publicidade em dois meses de 2006 cresceram mais de 60%;
Os investimentos em infra-estrutura foram praticamente zero;
A criminalidade cresceu assustadoramente;
Lula continuou usando o programa bolsa família unicamente como campanha política, tanto que o presidente da CNBB, o Cardeal-arcebispo D. Geraldo Majella Agnelo, afirmou que o bolsa família é um programa assistencialista. "quem está com fome deve receber seu alimento, mas não ficar assim, sendo estimulado a não fazer nada, ganhando R$ 60, R$ 80 por mês. Dê trabalho para todos", disse, assinalando que se programas como o bolsa família são "politicalha" para ganhar votos "é claro que não posso louvar" finalizou ele.
Lula, ridículo pensa que é o maior estadista do mundo, vive passeando no brinquedinho AEROLULALÁ;
Lula não sabe nada do que está acontecendo no seu governo, nem mesmo na porra do PT!;
Lula fecha os olhos para as invasões brutais do MST;
Farsa da quitação da dívida com o FMI - Lula eliminou empréstimos em dólares, a juros baratos de 6 a 7 % a.a. e trocou por outros em reais, com juros exorbitantes de 18% a.a.
A correção das aposentadorias será de 3%.


ENQUANTO ISTO:


O filho do presidente, Lulinha, de biólogo desempregado passou a grande empresário ganhando 25 milhões de presente da Telemar. O maior "case" de sucesso empresarial já visto no mundo. Nem Bill Gates enriqueceu tão rápido.
E os deputados mensaleiros continuam recebendo a proteção do PT são "perdoados" no congresso e o silêncio do presidente aumenta a impunidade.
Num ato público transmitido ao vivo pela TV, a deputada Ângela Guadagnin (PT-SP), debocha de toda a nação, ao comemorar dançando em pleno congresso nacional para comemorar a absolvição da corja do PT.
/
/

PENSA QUE ACABOU? LEIA SÓ A LISTA ABAIXO:

Correios
IRB
Portugal Telecom
Leão & Leão (República de Ribeirão)
Celso Daniel com morte de 7 testemunhas (até agora)
Interbrazil
Cartões de crédito corporativos da presidência
Farra com o fundo partidário
Daniel Dantas
Toninho da Barcelona
Toninho de Campinas
Duda Mendonça
Mensalão
Waldomiro Diniz
Fundos de pensão e o Marcelo Sereno
Gushiken
Gilberto Carvalho
Juscelino Dourado
José Dirceu
Delúbio
Roberto Teixeira
Bebedeiras do presidente
Aerolula
FARC
Baltazar (armas RJ)
Osasco
Foro de São Paulo
ONG Ágora
Miro Teixeira
INSS RJ
Palocci 1 e Palocci 2
Furnas
Paulo Okamoto e SEBRAE
Cueca dos dólares e João Adalberto
Firma do Lulinha
Citibank
Luís Favre, aliás Felipe Belisario, contas no Caribe, esquema da Martaxa, emprego no Duda 3 Severino
Jeany Mary Corner
Casa da Moeda e seu presidente
Ciro Gomes e seu secretário
Passeio da cadelinha Michelle em carro oficial
Passeio da Benedita da Silva em Buenos Aires
Trevisan
Manuel Dutra
Glenio Guedes
Anderson Adauto
Paulo Pimenta e o seu dossiê fajuto
Pororoca
David Messer
Boa idéia: Lula
Passeio de Boeing dos filhos do Lula
Marta e o esquema do lixo em São Paulo
Esquema do lixo em todas as demais prefeituras (Ribeirão, Matão...)
Esquema do Bingo
Esquema dos ônibus
Grana ilegal para o MST, UNE, UBES
FAT
BMG e o crédito consignado
Buratti
José Mentor e o abafa da CPI do Banestado
Acordo com o Maluf
Dinheiro do BNDES para O Globo
Reforma do apê do Gilberto Gil
Fundos exclusivos
Plataformas, gás natural da Petrobrás
Jacó Bittar
Marcos Valério, Banco Rural, valerioduto, embaixador em Portugal
Aloísio Mecadante e o caixa 2
Olívio Dutra e o Bingo/Bicho no RS
Blindagem
Professor Luizinho e o Cohiba nas festas do Gran Bittar
Madeireiras do Pará, corrupção no IBMA e a Senadora Ana Júlia
Greenhalg, caso Celso Daniel, caso Lubeca, indenizações milionárias
Hugo Werle e a madeira do MT
Roberto Marques, amigo do Zé Dirceu
Silvinho e o Land Rover
Genoíno
Najun Turner
Caso dos vampiros da saúde (Humberto Costa)
Outdoors da Ideli Salvatti em SC
Henrique Pizzolato
Luiz Gonzaga da Silva (Gegê), acusado de homicídio
Ivan Guimarães e o Banco Popular
Estrela vermelha nos jardins do Alvorada
Morte por fome dos indiozinhos de Dourados (MS)
Festa com dinheiro público para comemorar a expulsão da Heloisa Helena
Compra do apê da ex-esposa do Dirceu
Intervenção ilegal na Saúde do RJ
Os 300.000 dos advogados do Delúbio e os honorários do Aristides Junqueira
Medalha Rio Branco para o Severino (essa dói no coração!)
Suspensão dos benefícios dos velhinhos acima de 80 pelo Berzoini
Dinheiro para a transoceânica no Peru e corte de verbas do Rodoanel de SP
Superfaturamento de contratos de patrocínio do esporte pelo BB
Caixa 2 de Tocantins e Márcia Barbosa
Uso indevido da CIDE dos combustíveis
Compra de votos no 1o turno da eleição para presidente do PT
Propina de Taiwan para a campanha do Lula
Compra do PL e José Alencar por 10 milhões no quarto ao lado do Lula.
Jóias presenteadas da D. Marisa Letícia.
/
/


Essa é a compilação de vários emails, notas e artigos que andei lendo, muito embora nem precisasse de tanto. Não quero gerar nenhum debate aqui que não seja dentro do embate de idéias que levem todos a algum lugar. Fui eleitora de Lula e não sou mais, da mesma maneira que um dia lutei por ele, hoje luto para que volte de onde nunca deveria ter saído: Neverland – a terra do nunca!
/
/



/
/
** Imagem recebida do meu amigo Zé Guilherme da Comunidade HDNW. Brigada Zé!
Depois de ver pessoas pegando "santinhos" no chão para fazer escolhas de última hora de seus candidatos, nada mais me resta, para colorir esse dia, colocar um vídeo maravilhoso aqui. Quem for apaixonado por HDs vai curtir e entender, claro ;)






http://www.livingbyit.com
O DIA DO XÔ!
/

Se alguém ainda não sabe do que se trata, vou reproduzir bem resumidamente o que é, me utilizando de fragmentos de texto do excelente blog Pensar Enlouquece, do não menos excelente Alexandre Inagaki.
...
"O ex-Presidente da República, Sarney, mudou seu domicílio eleitoral do Maranhão para o Amapá em 1990 com o objetivo de assegurar com maior facilidade uma vaga para o Senado Federal. Aocntece porém que não esperava que o povo de lá achasse a idéia péssima e comentasse o assunto.
...
A jornalista Alcinéa Cavalcante publicou em seu blog um post intitulado "O Adesivo Perfeito", no qual afirmava que a frase "o carro que mais combina comigo é o camburão da polícia" seria ótima para estampar o vidro traseiro do carro de um certo candidato. Dois dias depois, os advogados de Sarney entraram com uma representação solicitando a imediata retirada do ar de uma "publicação ofensiva". A motivação do pedido foi um comentário publicado no post supracitado, assinado pelo leitor Paulo Henrique, fazendo alusão a uma piada antiga sobre certa "fazenda de burros" que o senador supostamente possuiria no Amapá. Além de limar o blog do ar, a ação ainda solicitava a aplicação de uma multa no valor de R$ 106.410,00. O juiz eleitoral Luiz Carlos Gomes dos Santos, mostrando possuir ainda bom senso, indeferiu o pedido feito pela coligação."
/
/
##############################
/
/
/
Pois bem, com o desmando instaurado e a jornalista cerceada da sua liberdade de expressão, só restou aos blogueiros ajudarem-na em sua campanha "Xô Sarney", a qual, obviamente o Literatus adere com todas as suas ventosas!
Hoje, lendo o excelente blog do Reinaldo Azevedo, além de pegar mais informações como vocês poderão ler abaixo, deixei em seus comentários a seguinte idéia: Por que não criarmos o DIA DO XÔ? Todos os blogs engajados nessa campanha publicariam num dia escolhido essa história de maneira resumida e terminariam dizendo que repudiam a atitude do excelentíssimo ex-Presidente. Ao invês de publicações aleatórias, nesse dia seria somente o "DIA DO XÔ" como uma maneira de expressarmos nossas opiniões e sobretudo darmos voz à jornalista. QUE TAL? DEIXEM SUAS OPINIÕES NOS COMENTÁRIOS, POR FAVOR!

/

##############################
/
/


Detefon no maribondo de fogo!

Muito bem, bravos! Às 5h45 da manhã, já são 163 os comentários no blog da anti-Sarney Alcinéa Cavalcante, lá do Amapá. Ela está tendo seu blog censurado — e não por crimes contra a honra. É que Sarney não gosta do que ela escreve. Em nome da liberdade de expressão, vamos nos solidarizar com Alcinéa (clique aqui e mande um comentário). Vamos fazer uma corrente, uma pirâmide. Vamos amolar Sarney. Enviemos a ele um e-mail de protesto: http://br.f514.mail.yahoo.com/ym/Compose?To=sarney@senador.gov.br. Os telefones do seu gabinete no Senado são os seguintes: (61) 3311 3429 e (61) 3311 3430, e o fax é (61) 3311 1776. Detefon nos maribondos de fogo da ditadura.
/
/
/##############################
/
/
/
Mais detalhes no blog da jornalista: http://alcineacavalcante.blogspot.com/



Bom, antes de mais nada, cabe as apresentações.
Daggett é um labrador amarelo, era para ser um presente e até foi, mas por vários motivos que não vêm mais ao caso, acabou ficando comigo. E Marley é outro labrador, cujo o dono escreveu sua história e publicou em livro, fazendo muito sucesso. Por que Marley virou livro?? Acho que pelo mesmo motivo que Daggett poderia ter virado... rss
/
/
Daggett
/
Esse nome vem de um dos personagens do desenho “The Angry Beavers” ou como foi traduzido no Brasil: “Os castores pirados”. Um desenho muito louco, mas muito bom. Pelo menos eu acho. Ajuda a esvaziar a mente, rir só por rir de bobeiras, depois é só virar para o lado e esquecer. Tenho a impressão de que os “meninos” entenderão melhor essa parte. Xápralá.

Como explicar Daggett??? Até ontem eu não sabia, mas após ler a resenha do livro “Marley e eu” finalmente descobri! Cheguei a pensar em algum parentesco entre os dois, tanta é a semelhança entre atos, destruição e “estabanagens” . Pena que eu não pensei em escrever um livro sobre o Daggett, histórias é que não faltam! Pelo menos ajudaria com os prejuízos do bichinho.
/

Lembram de Cato, o fiel escudeiro do Inspetor Closeau, brilhantemente interpretado por Peter Sellers? Pois é, o Daggett, não me deixa esquecer. Basta que eu chegue em casa e ele, o Daggett, vem voando de algum lugar que eu nem imagino onde seja e se joga em cima para dizer: Oi!
Ah! a beleza da vida selvagem! Com isso, quando escapo das investidas dele, outras coisas ou pessoas dançam, foi o caso do portão de garagem que não abre, nem fecha mais, resultado das muitas vezes que ele se jogou no coitado quando errava alvo: eu! Fora isso ninguém escapa, entregadores, amigos, meu irmão e até meu namorado um homem de 1,83 de altura já foram ao chão!
Esse é o Daggett!
Roupas no varal? Esquece! Ele arranca todas! Já segui uma trilha de calcinhas do portão até a casa graças a ele. Detalhe: era a primeira vez que meu namorado vinha aqui em casa. Vergonha é pouco! Fiquei mais vermelha que gif animado anunciando promoção! rss
/
/

/
/

E quando pedi remédios e ração numa loja aqui perto e ele escapou? Dei um show vestindo uma camisa curta só de calcinha tentando agarrá-lo. Desconfio que é por isso que sempre que peço coisas nessa loja vem o mesmo rapaz entregar e como sempre comenta o incidente com um sorrisão nos lábios.
Mico! Isso é o que acontece quando se tem um labrador por perto, ainda mais quando o mesmo foge as proporções dos labradores “normais”. O Daggett está perto de completar um ano e não pára de crescer. Já passou dos 20 quilos e está magro segundo o veterinário dele e de acordo com suas (dele) proporções. Deve ter gigantismo, suponho...

/
A diversão predileta do Daggett é pique-esconde. Invariavelmente pega alguma coisinha no quintal e fica parado na frente de qualquer um que se disponha a correr muito atrás dele para tentar pegar a coisinha. Alias, leia-se por qualquer coisa, um tijolo, um pedaço de tronco, pedregulho, coisinhas assim. Sem noção é o mínimo que se pode falar dele.
Atualmente ele anda comendo parte da minha varanda e não é verme. Ele está mais do que vermifugado, são os “dentinhos” que precisam ser exercitados e nada melhor que pedaços de uma varanda, concordam? rsss Estabanado ao extremo, vive tropeçando na escada, batendo com a cabeça nas paredes, chão e pessoas.
Mas sabe? Apesar de ficar P da vida com ele várias vezes, não consigo ficar zangada por muito tempo, ainda mais quando ele olha com aqueles olhinhos sombreados com belos cílios amarelos, a cabeça inclinada como quem diz: O que foi que eu fiz??

/

Definitivamente Daggett e Marley têm algum parentesco, rssss

/

/

/

Fiquem com a sinopse do livro: “Marley e eu”. Não li. Mas também pra quê? Tenho um "Marley" em casa, né? rsss

//


John e Jenny haviam acabado de se casar. Eles eram jovens e apaixonados, vivendo em uma pequena e perfeita casa e nenhuma preocupação. Jenny queria testar seu talento materno antes de enveredar pelo caminho da gravidez. Ela temia não ter vindo com esse 'dom' no DNA, justamente porque matara uma planta, presente do marido, por excesso de cuidado - afogando-a. Então, eles decidiram ter um mascote. Vão a uma fazenda, escolhem Marley, ao tomar contato com uma ninhada, porque também ficam encantados com a doçura da mãe, Lily; só depois têm uma rápida visão do pai, Sammy Boy, um cão rabugento, mal-encarado e bagunceiro. Rezam para que Marley tenha puxado à mãe, porém suas 'preces' não são atendidas.
A vida daquela família nunca mais seria a mesma. Marley rapidamente cresceu e se tornou um gigantesco e atrapalhado labrador de 44 kg, um cão como nenhum outro. Ele arrebentava portas por medo de trovões, rompia paredes de compensado, babava nas visitas, apanhava roupas de varais vizinhos, e comia praticamente tudo que via pela frente, incluindo tecidos de sofás e jóias. As escolas de adestramento não funcionaram - Marley foi expulso por ter ridicularizado a treinadora. Mas, acima de tudo, o coração de Marley era puro. Da mesma forma que ele recusava alegremente qualquer limite ao seu comportamento, seu amor e lealdade também eram ilimitados. Marley repartia o contentamento do casal em sua primeira gravidez e sua decepção quando sobreveio o aborto. Ele estava lá quando os bebês finalmente chegaram e quando os gritos de uma adolescente de dezessete anos cortaram a noite ao ser esfaqueada. Marley 'fechou' uma praia pública e conseguiu arranjar um papel num filme de longa-metragem, sempre conquistando corações ao mesmo tempo em que bagunçava a vida de todo mundo. Por todo esse tempo, ele continuou firme, um modelo de devoção, mesmo quando sua família estava quase enlouquecendo. Eles aprenderam que o amor incondicional pode vir de várias maneiras.

Trecho do Livro: "Marley e eu" de de John Grogan

/

Li em algum lugar:

- Você não acha triste precisar matar um amor?
- Matar? Não, a gente só desloca o amor para outra pessoa.
/
Nem sei. Acho que prefiro um amor novinho em folha. O que têm de ser morto, que seja e já vai tarde. A vida voa e eu tenho um coração capaz de grandes porradas...Graças a Deus!
Alias, achei essa entrevista. É antiga, mas interessante e se puder escolher, nem só paixão, nem só amor, prefiro um amorapaixonado...certo, amore? rs.
/
/



Paixão é doença

O psiquiatra Rubens Coura afirma que esse sentimento só traz infelicidade e defende que o problema seja tratado no divã e com a ajuda de remédios.
Carla Gullo e Cilene Pereira.

O psiquiatra e psicanalista Rubens Coura, 51 anos, presidente do Comitê de Psicologia Médica da Associação Paulista de Medicina, é um desses pesquisadores amantes da alma humana e de suas facetas mais intrigantes. Depois de mergulhar no estudo da depressão e dos remédios para combatê-la, ele agora prepara as linhas finais de um novo estudo sobre um tema não menos inquietante: a paixão. E vem com uma tese que promete dar um nó na cabeça de quem imagina que estar apaixonado é a melhor coisa da vida. “A paixão é muito destrutiva. É cega, possessiva. Diria que, infelizmente, as pessoas continuam se apaixonando”, diz, categórico.

Para chegar a essa desconcertante conclusão, Coura se valeu de sua experiência atrás do divã. Também se debruçou na análise da história da soror Mariana do Alcoforado, freira portuguesa que viveu no século XVII e autora das famosas Cartas portuguesas. São escritos para o conde de Chamilly, capitão do Exército francês, por quem Mariana foi perdidamente apaixonada e não correspondida. A pesquisa resultará na produção de um livro, ainda sem nome, que deverá ser publicado até o final do ano. O trabalho conta também com a participação da artista plástica Ely Bueno e do pesquisador português Leonel Burrella, que trabalha no convento onde viveu a freira, na cidade de Beja. Para falar sobre as armadilhas da paixão, de suas diferenças em relação ao amor e ainda de suas consequências, Coura recebeu ISTOÉ em seu consultório, localizado na avenida Paulista.
/
/

Istoé – Por que o interesse pela paixão?
Rubens Coura – Este trabalho sobre a paixão faço há vários anos. Mas o livro é alusivo a soror Mariana do Alcoforado, a freira portuguesa do século XVII que escreveu as famosas Cartas portuguesas. São cartas de paixão por um capitão do Exército francês, o conde de Chamilly. As cartas existem, e são cartas que ela escreveu muito apaixonada. Ela falava até em suicídio por não ser correspondida. Tudo indica que ele não correspondeu. Para sorte deles, eu diria.
/
/
Istoé – Por que sorte deles?
Coura – Se fosse bilateral, ao contrário do que se costuma apregoar por aí, teria terminado muito provavelmente em morte, em algo muito ruim.
/
/
Istoé – E o que aconteceu com ela?
Coura – Depois que a paixão terminou ela continuou freira e viveu até os 80 anos.
/
/
Istoé – O que é paixão?
Coura – É um arrebatamento, de mal conhecer o outro e já idolatrá-lo, sem limite, sem condição alguma. O outro pode ser de qualquer tipo, nível cultural ou social. Não é preciso conhecer sua vida, família. Amor à primeira vista é, na verdade, paixão amorosa à primeira vista. A paixão é solitária. Ela vem antes do outro.
/
/

Istoé – Ela pode se transformar em amor?
Coura – Muito dificilmente. Isso é raro acontecer.
/
/
Istoé –
Mas quando se começa um namoro, as pessoas se dizem apaixonadas.
Coura – É mais um entusiasmo de conhecer alguém interessante e usar a palavra paixão. Mas não é paixão.
/
/

Istoé – Qual a diferença entre o entusiasmo e a paixão?
Coura – O entusiasmo é a vontade de conhecer mais a pessoa. A paixão é cega, é uma devoção completa. É possessiva. Não se pode ficar longe do objeto da paixão.
/
/

Istoé – E o amor?
Coura – O amor não é instantâneo e brutal como a paixão. É sempre bilateral e se desenvolve com contato, admiração pelas qualidades, perdão pelos defeitos. Amplia as coisas. Quando duas pessoas se amam, costumam alargar o círculo de amigos, de interesses. Elas evoluem em suas profissões, estudam mais. Na paixão, não. Só querem um ao outro. Mas o amor tem algo da paixão. Afinal, paixão é como uma prévia do amor. Não no sentido de se transformar em amor. Isso é raríssimo. É um ensaio de amor do adolescente. É natural nessa fase.
/
/

Istoé – E não tão desastrosa?
Coura – Como o adolescente em geral não tem tanto alcance social e material e como a paixão muitas vezes não é correspondida, ela pode ser vista como uma doença normal da adolescência. Persiste no adulto por várias razões como algo neurótico, quase psicótico.
/
/

Istoé – Todos se apaixonam um dia?
Coura – Em algum grau sim. Nem todos têm a paixão devastadora nem o azar de ser correspondido. O amor correspondido é uma maravilha, mas a paixão é um desastre. Ela é quase uma loucura.
/
/

Istoé – É sempre doença?
Coura – Sim, porque não conta com o outro, quer controlá-lo. O apaixonado idealiza uma pessoa violentamente e descobre uma vítima para moldá-la para aquilo que já está pronto dentro de si.
/
/

Istoé – A paixão pode durar uma vida?
Coura – Não. Em geral ela é fugaz.
/
/

Istoé – O sr. se lembra de alguma história que tenha marcado mais?
Coura – Lembro-me de um rapaz que estava apaixonadíssimo e a menina não correspondia. Parou de estudar, mal se alimentava, estava começando a consumir drogas. E eu pensando: que bom que não é correspondido, porque pelo menos ele vem buscar ajuda.
/
/
Istoé – Como tratar a paixão?
Coura – No divã. Depois de uns quatro meses, por exemplo, o rapaz me disse: que bom que não fiz nenhuma bobagem. Ele tinha pensando em matar a menina. O rapaz voltou a ser o que era antes. Quando se referia a ela falava palavrões.
/
/

Istoé – O sentimento se transformou?
Coura – O amor pode terminar em amizade. A paixão não. O apaixonado passa a odiar, a desprezar o objeto da paixão. É o sentimento às avessas.
/
/

Istoé – Só a psicanálise ajuda?
Coura – Com este rapaz só com psicanálise funcionou. Mas tem gente que precisa de tranquilizantes.
/
/

Istoé – Uma paixão nunca tem um final feliz?
Coura – De jeito nenhum. Termina em ódio, rancor, mágoa, vingança e às vezes morte. Acredito que muitos desses crimes por paixão amorosa saem na imprensa como assalto. Os familiares têm vergonha de assassinatos e suicídios.
/
/
Istoé – O que causa a paixão?
Coura – Em geral, é uma imaturidade própria do adolescente e que dentro de alguns limites é natural.
/
/

Istoé – E a paixão doentia que se repete?
Coura – A causa é um núcleo narcísico infantil que persiste. É uma neurose grave. Vem da evolução psíquica de cada pessoa. A pessoa não aprende com a paixão e a repete. Não é comum se apaixonar mais de uma vez na vida. As pessoas geralmente aprendem com a primeira e única paixão.
/
/

Istoé – Existe um traço comum na infância das pessoas que se apaixonam, como a rejeição de pai?
Coura – A paixão pode se tornar muito grave por vivências interiores, seja rejeição de pai ou de mãe ou rivalidade entre irmãos muito acentuada. Mas há paixões com evolução boa. Conheci uma adolescente perdidamente apaixonada pelo Tom Cruise. Ela assistia 15, 20 vezes ao mesmo filme dele, chorava quando o via e quando ele aparecia com alguma mulher. Orientando a família, disse que a paixão iria se dissolver em uns três meses.
/
/
Istoé – Ela terminou naturalmente?
Coura – Sim. A família era compreensiva e ajudou. Hoje ela não liga a mínima para o Tom Cruise.
/
/
Istoé – Como a família deve reagir?
Coura – Ela não pode contrariar, falar mal dele. Contrariar aguça a paixão. Tem que compreender isso e tentar vê-la como abertura que é, trôpega, para um futuro amor. A capacidade de amar começa a se abrir via paixão.
/
/

Istoé – Mas se apaixonar é gostoso, não?
Coura – A lembrança dela pode ser gostosa, mas a paixão é sofrida. Tem bons momentos, mas tem muito de insegurança, de sofrimento, de autodesvalorização.
/
/

Istoé – Há um nível normal de paixão?
Coura – Sim. A da menina pelo Tom Cruise, por exemplo. O apaixonado pode ser acolhido pela família, pelos amigos. É um problema que vai se resolvendo com a compreensão. Quando ela é mais forte, está sempre ligada a núcleos de problemas infantis. Aí ela pode ser muito forte e sofre-se muito.
/
/

Istoé – E como deve agir o objeto da paixão?
Coura – O Tom Cruise, por exemplo, deveria responder a carta, dizendo que algum dia talvez possa conhecê-la. O vizinho poderia dizer que ela é uma menina interessante, mas que ele está em outra. Não mostrar desprezo ou brincadeira. E também não abusar da pessoa. Porque o que for pedido, ela faz.
/
/
Istoé – Isso é fácil acontecer?
Coura – Já ouvi falar, mas não presenciei esse abuso. Mas o objeto da paixão deve ter uma atitude compreensiva, respeitosa e procurar ficar longe. Se a pessoa não está apaixonada, por que transar?
/
/
Istoé – Por vaidade...
Coura – Sim. Saber que alguém está apaixonado por nós envaidece. Mas deve-se ter a consciência de que a paixão é interna.
/
/

Istoé – A história está pontuada de paixões loucas, como a de Camile Claudel por Rodin.
Coura – Sim, mas ela também tinha outra psicose junto e a paixão se cronificou. Por ser psicótica, Camile Claudel nunca conseguiu passar do nível de paixão para o do amor. Ela ficou no nível mais primário.
/
/
Istoé – Pode-se dizer então que Camile Claudel tinha uma fixação pelo escultor?
Coura – Sim, porque durou quase a vida toda. A fixação é diferente da paixão. Pessoas imaturas emocionalmente não desenvolvem relacionamentos sadios. Alguns homens ficam ligados a vida inteira à mãe e não conseguem ter uma namorada ou esposa com quem mantêm uma boa relação. Ou então uma mulher que é fixada no pai e por isso não se relaciona bem com o homem. Mas isso não é paixão. São pessoas que trabalham, namoram, mas têm uma dificuldade focada na área do amor. Podem até amar alguém, no entanto estão contaminados de pai e mãe. A paixão é muito pior do que isso.
/
/
Istoé – É possível amar sem nunca ter se apaixonado?
Coura – É difícil. Em larga medida, é como uma doença inevitável, como as dores do crescimento. Quando o adolescente cresce, sente dor em várias articulações. A paixão é uma dor psíquica de crescimento.
/
/
Istoé – Quais os sinais de que a paixão está grave?
Coura – O apaixonado não percebe nunca. Acha que está como sempre foi. Mas os próximos percebem e falam. Vêem que ele não está mais estudando, mal se alimenta ou come sem parar quando antes não era assim. Não dorme direito e o único assunto é o objeto da paixão.
/
/

Istoé – Há mais incidência entre homens ou mulheres?
Coura – Os dois são acometidos.
/
/

Istoé – E ela se manifesta de maneira diferente?
Coura – É basicamente da mesma forma. A diferença maior é que os sentimentos da mulher, sejam eles paixão ou amor, são bem recebidos socialmente. Com o homem ocorre o contrário.
/
/

Istoé – Por isso os homens escondem tanto a emoção?
Coura – Sim. É social. Sentimento é considerado erroneamente como uma fraqueza do homem. Homem não chora.
/
/

Istoé – As pessoas dão pouca importância à paixão?
Coura – Atualmente sim. Dá a impressão de que a paixão não existe mais e até às vezes o amor. As pessoas querem ser pragmáticas, objetivas, e pensam que isso exclui o amor e a paixão.
/
/

Istoé – A afirmação de que ela é doença é consenso?
Coura – Em geral não ouço essa opinião. Entre psicanalistas fica melhor aceito como algo narcísico, egoístico. É considerada um desvio doentio do narcisismo. Mas é uma característica do ser humano. Nenhum animal tem.
/
/

Istoé – A doença pode surgir em qualquer idade?
Coura – É raro, a não ser essas pessoas que se apaixonam com frequência.
/
/
Istoé – Não conseguir passar da paixão para o amor pode ser sinônimo de medo de amar?
Coura – Claro, a paixão é muito mais fácil. Eu sou eu e acabou. E a paixão não se transforma em amor porque dá ressaca de vingança, ódio, ressentimento. Mas pode uma paixão terminar completamente e a pessoa se reencontrar e desenvolver o amor.
/
/

Istoé – O sr. compara a paixão com alguma outra doença?
Coura – Acho que pessoas que se apaixonam a toda hora e não conseguem passar desse estágio são como um alcoólatra. Ele bebe, sabe que está errado, todos sofrem, ele sofre e não consegue evitar a bebida. Aí pára por um período, e como continua com os mesmos núcleos neuróticos, geralmente volta a beber. Paixões que se repetem são como o alcoolismo. Um adolescente tem um grande porre, como um batismo, mas raríssimos se tornarão alcoólatras. Paixão é parecido.
/
/
Istoé – O sr. consegue perceber quando alguém está doente de paixão?
Coura – Às vezes. Posso quase afirmar, por exemplo, que dona Nicéa Pitta está apaixonada. Por outro. Alguém que a instigou a se virar contra o marido. A paixão, mais do que o dinheiro, é capaz das coisas mais absurdas.
/
/
2006
Centenário de Mario Quintana
/
/





"Amar é mudar a alma de casa."
Mário Quintana



"Quero todo o teu espaço e todo o teu tempo quero todas as tuas horas e todos os teus beijos quero toda a tua noite e todo o teu silêncio."
Mário Quintana


"Amigos, não consultem os relógios quando um dia me for de vossas vidas... Porque o tempo é uma invenção da morte: não o conhece a vida - a verdadeira - em que basta um momento de poesia para nos dar a eternidade inteira."
Mario Quintana
/
/
O doce poetinha nos deixou num dia 05 de maio, nos deixou assim como seus versos uma nota de flor na boca, um aroma de outono nas mãos e um sorriso como o dele que mesmo sorrindo parecia conter uma tristeza suave.
Quintana não era ranziza, zangado, nem mesmo tímido, era apenas calado, introspectivo, daqueles que ao olharmos ficamos intrigados, procurando desfrutar de um riquíssimo mundo interior que certamente existia. Tinha um humor único, uma fina ironia a pontuar seus comentários sobre o corriqueiro da vida. Tenho a impressão de que conviver com ele devia ser leve como algodão doce, uma surpresa constante em qualquer coisa de sempre como no velho poste iluminando a rua ou mesmo pela janela onde abril se abria diferente todos os dias.
/
/
/
Inscrição Para Um Portão de Cemitério
Na mesma pedra se encontram,
Conforme o povo traduz,
Quando se nasce - uma estrela,
Quando se morre - uma cruz.
Mas quantos que aqui repousam
Hão de emendar-nos assim:
"Ponham-me a cruz no princípio...
E a luz da estrela no fim!
//
/
/
//
/
/
/
Mario Quintana Mario Quintana nasceu em 30/ 07/ 1906 em Alegrete - próxima à fronteira com a Argentina -, cidade banhada pelas margens do rio Ibirapuitan, cenário de muitas de suas poucas brincadeiras de criança. Poucas porque, apesar de ter dito inúmeras vezes que teve uma infância igual a de tantos outros, desde cedo teve uma inclinação natural à leitura.
/
Aos 7 anos foi alfabetizado pelos pais e já aos treze dominava a língua francesa - quando adulto, seus autores preferidos eram Rimbaud, Appollinaire e Verlaine. No primário, quando foi apresentado sem rodeios à gramática lusitana, recusou aceitá-la, alegando que não era aquela a língua que falava. Nisso acreditou até seu amadurecimento poético, pois sempre escreveu de forma coloquial todos os seus versos.
/
Na verdade, Quintana sempre escreveu de maneira simples o complexo da vida. Os poemas dele são como bordados ricos na complexidade dos pontos, mas formavam desenhos simples, desenhos que todos identificavam de imediato. Graças a ele e suas traduções, os leitores brasileiros puderam ter acesso a Proust, Virgínia Woolf, Balzac e tantos outros, foram mais de cem livros traduzidos. Publicou seu primeiro livro aos 34 anos, porque achava que quanto mais velho o poeta, "maior a tendência de ficar melhor, com estilo mais depurado".
/
/
/
Nunca ninguém sabe
Nunca ninguém sabe se estou louco para rir ou para chorar.
Por isso o meu verso tem esse quase imperceptível tremor...
/
/
/
Jardim Interior
/
Todos os jardins deviam ser fechados,
com altos muros de um cinza muito pálido,
onde uma fonte
pudesse cantar
sozinha
entre o vermelho dos cravos.
O que mata um jardim não é mesmo
alguma ausência
nem o abandono...
O que mata um jardim é esse olhar vazio
de quem por eles passa indiferente.
Mario Quintana
/
/
/
O que nos mata, é não ter um poetinha como ele para nos falar de nossos jardins, dos pássaros, do céu, do vento e sua tristeza por não ser colorido, das estrelas que não paramos mais para olhar... quando foi que você antes de entrar apressado no carro ou em casa olhou estrelas no céu? Pois olhe hoje, uma delas é ele.
/
/
Noturno
/
Ninguém no cais deserto... Apagaram-se os grilos.
As estrelas estão imóveis e tristes como um mapa sideral.
Mario Quintana
/
/
/
/
/
Frases, Fragmentos, trechos...
/
/
“Um poeta sofre três vezes: primeiro quando ele os sente, depois quando ele os escreve e, por último, quando declamam os seus versos.”
/
/
“...eu te amo a perder de vista...”
/
/
“...Dizem que sou tímido. Nada disso . Sou é caladão , introspectivo. Não sei porque sujeitam os introvertidos a tratamentos . Só por não poderem ser chatos como os outros?”
/
/
“...Não tenho vergonha de dizer que estou triste,
Não dessa tristeza ignominiosa dos que, em vez de se matarem, fazem poemas:
Estou triste por que vocês são burros e feios E não morrem nunca...”
/
/
/
"Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com uma outra pessoa, você precisa, em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe também que aquele alguém que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente não é o "alguém" da sua vida. Você aprende a gostar de você, a cuidar de você e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você. O segredo é não correr atrás das borboletas... é cuidar do jardim para que elas venham até você. No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!"
/
/
/
"Saudade é algo que ficou de alguém que não ficou."
/
/
/
"Nenhum ódio é tão forte quanto aquele que advém do amor"
/
/
/
"A esperança é um urubu pintado de verde"
/
/
/
”Sou o dono dos tesouros perdidos no fundo do mar.
só o que está perdido é nosso para sempre.
Nós só amamos amigos mortos
E só as amadas mortas amam eternamente...”
/
//
"Sentir-se amado, é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida"
/
/
/
"O tempo não para! A saudade é que faz as coisas pararem no tempo...''
/
/
/
"Livros não mudam o mundo,
quem muda o mundo são as pessoas.
Os livros só mudam as pessoas."
/
/
/
"Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação"
/
/
/
"Dizeis que tudo é amor e eu vos direi que a fome é tudo; tanto que o verbo comer, na insondável sabedoria do povo, também significa possuir carnalmente."
/
/
/
“Tão bom morrer de amor ....e continuar vivendo.”
/
/
/
"(...)
Não vem de ti essa tristeza
Mas das mudanças do Tempo,
Que ora nos traz esperanças
Ora nos dá incerteza...
Nem importa, ao velho Tempo,
Que sejas fiel ou infiel...
Eu fico, junto à correnteza,
Olhando as horas tão breves...
(...)"
/
/
/
"O amor é quando a gente mora um no outro..."
/
/
/
"Amar: Fechei os olhos para não te ver e a minha boca para não dizer... E dos meus olhos fechados desceram lágrimas que não enxuguei, e da minha boca fechada nasceram sussurros e palavras mudas que te dediquei....O amor é quando a gente mora um no outro."
/
/
/
“Um dia descobrimos que beijar uma pessoa para esquecer outra é bobagem... Você não só não esquece a outra pessoa como ainda pensa muito mais nela... Um dia descobrimos que se apaixonar é inevitável..."
/
/
/
"Eterno é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata"
/
/
..." é preciso a saudade para eu te sentir, como sinto em mim, a misteriosa presença da vida.Mas quando surges, és tão outra, e múltipla e imprevista, que nunca te pareces com o teu retrato e eu tenho que fechar meus olhos para ver-te..."
/
/
/
"Essa vida é uma estranha hospedaria,
De onde se parte quase sempre às tontas,
Pois nunca as malas estão prontas,
E a nossa conta nunca está em dia."
/
/
/
"O passado não reconhece seu lugar, está sempre presente."
/
/
/
"Sentir primeiro, pensar depois
Perdoar primeiro, julgar depois
Amar primeiro, educar depois
Esquecer primeiro, aprender depois
Libertar primeiro, ensinar depois
Possuir primeiro, contemplar depois
Agir primeiro, julgar depois
Viver primeiro, morrer depois"
/
/
/
“Sonhar é acordar-se para dentro.”
/
/
/
"Nunca diga "te amo" se não te interessa.
Nunca fale sobre sentimentos se estes não existem.
Nunca toque numa vida,
se não pretende romper um coração.
Nunca olhe nos olhos de alguém,
se não quiser vê-lo se
derramar em lágrimas por causa de ti."
/
/
/
“Minha vida está nos meus poemas, meus poemas são eu mesmo, nunca escrevi uma vírgula que não fosse uma confissão. Ah! mas o que querem são detalhes, cruezas, fofocas... Aí vai! Estou com 78 anos, mas sem idade. Idades só há duas: ou se está vivo ou morto. Neste último caso é idade demais, pois foi-nos prometida a Eternidade...
Dizem que sou modesto. Pelo contrário, sou tão orgulhoso que acho que nunca escrevi algo à minha altura. Porque poesia é insatisfação, um anseio de auto-superação. Um poeta satisfeito não satisfaz...”
(Revista Isto é, de 14.11.1984)
/
/
/
"Que importa restarem cinzas se a chama foi bela e alta?"
/
/
/
e pra finalizar antes que se torne infinito... gosto de pensar assim:
/
/
/
"A tristeza é um intervalo entre duas felicidades”
/
/