Fica a dica para os meus talentosos leitores. Boa sorte!




História inspiradora
Mànya Mille

Concurso Contos do Rio II

Lançado em 2003 para atender aos muitos pedidos de autores ou candidatos a autores que buscavam um espaço para mostrar seus trabalhos, o concurso Contos do Rio, promovido pelo caderno Prosa & Verso, mostrou que estava no caminho certo ao apostar no estímulo aos futuros escritores: os jurados receberam aproximadamente quatro mil textos de todo o país, dos quais 40 foram selecionados e serão premiados no próximo dia 15, numa cerimônia na Academia Brasileira de Letras. Agora já é hora, portanto, de abrir uma nova chance para que outros milhares de futuros autores mostrem seu talento. A segunda edição dos Contos do Rio está aberta oficialmente a partir de hoje.

O Rio continua sendo a referência obrigatória para o concurso, que nesta edição terá a memória como tema: o enredo dos contos deve ter como inspiração monumentos, personagens ou episódios históricos da cidade (de qualquer época), que podem ser o objeto principal da ficção ou apenas seu ponto de partida. Material, pois, é o que não falta para atiçar a imaginação de autores de todo o país.

Os contos, como na edição passada, deverão ser inéditos, inclusive na internet. E o ineditismo é apenas um dos pontos a serem cumpridos de acordo com o novo regulamento, publicado integralmente ao lado. Cada autor pode concorrer com um conto e não pode ter qualquer livro (de ficção ou não-ficção) lançado por editoras nacionais. A publicação é um critério de desclassificação. Desta vez, haverá dez finalistas, e não mais 40.


É importante também observar o tamanho do conto, que foi estipulado em 5.600 caracteres, incluindo espaços (a contagem é feita por qualquer programa de computador). O prazo de entrega dos textos encerra-se impreterivelmente em 31 de janeiro de 2005 e será observada a data de postagem no correio. Textos com carimbos postais além desse dia estarão automaticamente desclassificados.


“Sonho e ousadia têm que ser parte integrante da vida”


Todo trabalho e angústia certamente valerão a pena ao fim do concurso, tanto para o grande vencedor como para quem não chegar até essa etapa. É o que afirma Waldir Rodrigues Pereira, o vencedor da primeira edição do concurso, que no dia 15 vai receber na ABL seu troféu de primeiro colocado pelo conto “A vitória do amor”.

— O sonho e a ousadia têm que ser parte integrante da nossa vida e esse concurso é um veículo maravilhoso para exercitarmos isso, sejamos premiados ou não — disse Waldir, que tem 63 anos e mora em Brasília.

Servidor público que trabalha como redator de textos, Waldir também conta que a premiação deu um novo impulso ao seu sonho de se tornar escritor: ele já mandou o original de um romance inédito, chamado “O louco da minha rua”, para uma editora dar o seu parecer.

— Fiz isso inspirado pela premiação e ela abriu a porta para que eles (editores) me recebessem já com uma certa boa vontade.



Regulamento do Concurso:

1: O concurso “Contos do Rio” tem por objetivo estimular a produção literária, premiando obras inéditas do gênero, a serem criadas acerca do tema “memória”. A finalidade é a de incentivar a cultura, sem qualquer modalidade de sorteio, pagamento ou vínculo à compra, uso, bens, direitos ou serviços, sendo realizada pela INFOGLOBO COMUNICAÇÃO LTDA.

2: O conto deve ter como cenário o Rio de Janeiro, tomando como mote para o enredo ficcional seus monumentos, personagens ou episódios históricos de qualquer época.

3: O concurso é dirigido a autores desconhecidos, que apresentem textos totalmente inéditos, ainda não disponibilizados em nenhum suporte, incluindo a internet. É vedada a participação de escritores consagrados nos meios de comunicação.

3.1: É vedada a participação de candidatos que tenham textos publicados por editoras nacionais, sendo critério de desclassificação a publicação de livros. É igualmente vedada a participação de funcionários da INFOGLOBO.

4: Cada autor poderá participar com apenas um conto, observado o limite máximo de 5.600 caracteres (incluindo espaços), que deverá ser apresentado em seis vias impressas, e enviadas pelo correio para o endereço Prosa & Verso, Rua Irineu Marinho, 35/2 andar, CEP 20230-901. Admite-se o envio de material em disquete, desde que acompanhado do texto impresso.

5: Os textos devem ser assinados com pseudônimo. Dentro do envelope com o original e as cópias do conto deverá ser inserido um envelope menor, contendo o nome verdadeiro e os dados completos do candidato (nome, endereço, telefone e e-mail, se for o caso).

6: O prazo de entrega dos textos encerra-se em 31 de janeiro de 2005 (data de postagem no correio). Não serão aceitos os textos cuja data de postagem no correio ultrapasse esse dia.

7: A seleção prévia dos textos será realizada pela equipe do caderno Prosa & Verso e por outros jornalistas do GLOBO convidados pela equipe.

8: A mesma equipe será responsável pela seleção dos dez melhores contos, cujos autores serão premiados com publicação do texto no caderno Prosa & Verso.

9: Dentre os dez contos premiados, um júri de três especialistas selecionados pelo jornal escolherá o grande vencedor.

10: Os dez escolhidos receberão diplomas e o grande vencedor receberá uma placa de homenagem, em cerimônia realizada até dezembro de 2005, no Rio de Janeiro, em local a ser indicado pelo GLOBO.

11: Os ganhadores concordam em permitir a utilização de seus nomes e imagem, bem como os direitos autorais referentes à obra, podendo O GLOBO publicar o referido trabalho, a título gratuito.

12: A participação neste concurso acarreta aos participantes a aceitação total e irrestrita de todos os itens deste regulamento.

13: As dúvidas não previstas neste regulamento, bem como critérios para desempate, desclassificação, pontuação e adequação ao tema proposto serão julgadas exclusivamente por integrantes do jornal O GLOBO, cujas decisões serão soberanas e irrecorríveis.

14: Esta promoção tem caráter exclusivamente cultural, sendo realizada de acordo com o disposto na Lei Federal n 5.768/72 e no Decreto n 70.951/72, art. 30.

0 comentários: