Cuidado.
O amor é um pequeno animal
desprevenido, uma teia
que se desfia pouco a pouco. Guardo
silêncio para que possam ouvi-lo
desfazer-se.

Casimiro de Brito



"Ainda que chova, ainda que doa
Ainda que a distância
Corro a as horas do dia
E caia a noite sem estrelas
O mundo brilha um pouquinho mais
A cada vez que você sorri"

Pablo Neruda





Sonhos

Ter um sonho, um sonho lindo,


Noite branda de luar,


Que se sonhasse a sorrir...


Que se sonhasse a chorar...
Ter um sonho, que nos fosse


A vida, a luz, o alento,


Que a sonhar beijasse doce


A nossa boca... um lamento...
Ser pra nós o guia, o norte,


Na vida o único trilho;


E depois ver vir a morte
Despedaçar esses laços!...


É pior que ter um filho


Que nos morresse nos braços!

Florbela Espanca



Amor

Cala-te, a luz arde entre os lábios,
e o amor não contempla, sempre
o amor procura, tacteia no escuro,
essa perna é tua?,
esse braço?,
subo por ti de ramo em ramo,
respiro rente á tua boca,
abre-se a alma à língua, morreria
agora se mo pedisses, dorme,
nunca o amor foi fácil, nunca,
também a terra morre.

Eugenio Andrade






"Há alguma coisa aqui que me dá medo. Quando eu descobrir o que me assusta, saberei também o que amo aqui. O medo sempre me guiou para o que eu quero. E porque eu quero, temo. Muitas vezes foi o medo que me tomou pela mão e me levou. O medo me leva ao perigo. E tudo o que eu amo é arriscado."

Clarice Lispector





"Amar é querer estar perto, se longe; e mais perto, se perto."
Vinícius de Moraes





"Um beijo, mas afinal que é isso?
Um juramento feito de mais perto, uma promessa
Mais precisamente, uma confissão que se quer confirmar
Um ponto rosa no i do verbo aimer
É um segredo que usa a boca como uma orelha,
Um instante infinito que faz um som de abelha,
Uma comunhão com sabor a flor
Uma forma de se respirar um pouco o coração
E de se provar a alma na ponta dos lábios!"

Edmond Rostand






“Mas há a vida que é para ser intensamente vivida, há o amor. Que tem que ser vivido até a última gota. Sem nenhum medo. Não mata.”
Clarice Lispector






"Por uma lógica singular, um sujeito apaixonado percebe o outro como um Tudo, e, ao mesmo tempo, esse Tudo parece comportar um resto que não pode ser dito. É o outro tudo que produz nele uma visão estética: ele gaba a sua perfeição; imagina que o outro quer ser amado como ele próprio gostaria de sê-lo, mas não por essa ou aquela de suas qualidades, mas por tudo, e esse tudo lhe é atribuído sob a forma de uma palavra vazia, porque Tudo não poderia ser inventariado sem ser diminuído."
Roland Barthes (Extraído de "Fragmentos de Um Discurso Amoroso")




Colada à tua boca a minha desordem.
O meu vasto querer.
O incompossível se fazendo ordem.
Colada à tua boca, mas descomedida
Árdua
Construtor de ilusões examino-te sôfrega
Como se fosses morrer colado à minha boca.
Como se fosse nascer
E tu fosses o dia magnânimo
Eu te sorvo extremada à luz do amanhecer."

Do Desejo – 1992 - Hilda Hilst






0 comentários: