Sérgio Porto
Stanislaw Ponte Preta
Irreverência essa é a palavra para descrever Sérgio Porto, ou Stanislaw Ponte Preta, como queiram.
Sérgio nasceu no dia 11 de janeiro de 1923, e ficou famoso anos depois sob o pseudônimo de Stanislaw Ponte Preta, emprestado à Oswald de Andrade (vide Memórias de Serafim Ponte Grande.)
Um frasista incorrigível deixou pérolas inesquecíveis. Suas crônicas, algumas atualíssimas, levam a marca do carioca direto, esperto, debochado, tudo regado a muito bom humor.

Sérgio Porto é daqueles caras que nos faz rir sozinhos, quando lembramos de uma frase, de um texto inspirado, de um causo vivenciado por ele e virando lenda, repassado por muitos.
Com uma jornada de trabalho nunca inferior a 15 horas, sofreu o primeiro infarto aos 36 anos. Seguiu no seu ritmo alucinado até o ultimo dia de vida.
"Tunica, eu tô apagando". Essas foram as últimas palavras ditas pelo autor ao sofrer seu derradeiro infarto, no dia 29 de setembro de 1968. Dessa ele não escapou para tristeza (literalmente) nossa.


Sérgio Porto, por ele mesmo, "Auto-retrato do artista quando não tão jovem"



ATIVIDADE PROFISSIONAL: Jornalista, radialista, televisista (o termo ainda não existe, mas a atividade dizem que sim), teatrólogo ora em recesso, humorista, publicista e bancário.

OUTRAS ATIVIDADES: Marido, pescador, colecionador de discos (só samba do bom e jazz tocado por negro, além de clássicos), ex-atleta, hoje cardíaco. Mania de limpar coisas tais como livros, discos, objetos de metal e cachimbos.

PRINCIPAIS MOTIVAÇÕES: Mulher.

QUALIDADES PARADOXAIS:Boêmio que adora ficar em casa, irreverente que revê o que escreve, humorista a sério.

PONTOS VULNERÁVEIS: Completa incapacidade para se deixar arrebatar por política. Jamais teve opinião formada sobre qualquer figurão da vida pública, quer nacional, quer estrangeira.

ÓDIOS INCONFESSOS: Puxa-saco, militar metido a machão, burro metido a sabido e, principalmente, racista.

PANACÉIAS CASEIRAS: Quando dói do umbigo para baixo: Elixir Paregórico. Do umbigo para cima: aspirina.

SUPERTIÇÕES INVENCÍVEIS: Nenhuma, a não ser em véspera de decisão de Copa do Mundo. Nessas ocasiões comparativamente qualquer pai-de-santo é um simples cético.

TENTAÇÕES IRRESISTÍVEIS: Passear na chuva, rir em horas impróprias, dizer ao ouvido de mulher besta que ela não tão boa quanto pensa.

MEDOS ABSURDOS: Qualquer inseto taludinho (de barata pra cima).

ORGULHO SECRETO:Faz ovo estrelado como Pelé faz gol. Aliás, é um bom cozinheiro no setor mais difícil da culinária: o trivial.



Assinado, Sérgio Porto, agosto de 1963.



Leia: http://www.releituras.com/spontepreta_bio.asp

0 comentários: