Ô Abre Alas que eu quero passar...

É tempo de Carnaval e nada mais justo do que falar de Chiquinha Gonzaga, a maestrina que abriu alas e passou triunfante pela história da música brasileira.
Num dia 28 de fevereiro de 1935, Francisca Edwiges Gonzaga, Chiquinha Gonzaga, compositora, pianista e maestrina brasileira iria para o andar de cima, cantar em outros cantos o que encantou aqui.

Como toda boa moça, Francisca Edwiges Gonzaga foi educada com primor e preparada para ser uma dama da sociedade. Fosse ela outra que não Chiquinha Gonzaga, talvez acatasse com alegria o destino que seu pai lhe impôs, casar com o jovem e promissor, Jacinto Ribeiro do Amaral. Com apenas 16 anos e sem muito o que fazer, aceitou seu destino.

Obviamente a música, os bailes de carnaval e os chorões, os músicos da época que tocavam choro, levaram Chiquinha para outros caminhos e ela descobriu que apesar de ser uma mulher separada e com um filho pequeno, havia vida após o casamento. Sorte nossa!

Antonio Calado, famoso chorão da época convidou-a para ser a pianeira de seu conjunto Choro Carioca. Chiquinha começou a tocar em bailes e teatros recebendo dois mil réis por noite. Chiquinha passou a frequentar festas e reuniões de chorões, compondo a polca Atraente, em 1877, que, editada na véspera de Carnaval, fez um enorme sucesso.

Foram muitas as privações que Chiquinha passou, o preconceito contra ela e o seu modo de vida eram patentes, mas ela era aquele tipo de mulher que é feita de material diferente, resistente, forte e decidida, abriu as alas que quis e terminou seus dias consagrada.
Essa pioneira que em 1913 batalhou e criou a Sociedade Brasileira de Autores Teatrais – SBAT, tinha mesmo que sair vencedora e ainda hoje as alas se abrem para ver Chiquinha Gonzaga passar.

andrea augusto©angelblue83

Leia: http://www.info.lncc.br/dimas/chiq.htm


Para quem esta viajando e pretende enfiar o pé na jaca ou procurar uma jaca para enfiar o pé, bon voyage. Eu ficarei por aqui praticando meditação-zen-budista-em-posição-de-Lótus-voltada-para-o-Oriente, ou seja na falta de recursos monetários, meditação é um santo remédio. Ciao, baby!

0 comentários: