dos diários

Nessa noite, a tempestade e o vento derrubaram uma árvore. Pela manhã parte da grande árvore, uma amendoeira estava sob o telhado de nossa casa, raízes fora das entranhas da terra puxaram junto o concreto que sepultava parte delas. Raízes insepultas e livres, amendoeira dobrada e tudo quebrado. Entre galhos, verdes folhas, um machado esquartejava a livre árvore. Afora o silêncio, um som oco de corte se repetia misturando-se a normalidade aparente. O sol veio e como a morte que libertou a árvore, causou - nos um estranhamento como se do cenário não fizesse parte...

andrea augusto©angelblue83










Muito Obrigada a todos pelo carinho e solidariedade. Enviei um email contando como estão as coisas por aqui. Agora é reconstruir em todos os sentidos. Na medida do possível manterei o blog e responderei os emails. Muito Obrigada mesmo.



0 comentários: